Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6

__________________VERSÍCULOS DO DIA ______________

"Mas eles começaram, um por um, a apresentar desculpas. O primeiro disse: ‘Acabei de comprar uma propriedade, e preciso ir vê-la. Por favor, desculpe-me’."Outro disse: ‘Acabei de comprar cinco juntas de bois e estou indo experimentá-las. Por favor, desculpe-me’."Ainda outro disse: ‘Acabo de me casar, por isso não posso ir’. Lucas14:18-20
"Se alguém vem a mim e ama o seu pai, sua mãe, sua mulher, seus filhos, seus irmãos e irmãs, e até sua própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo. E aquele que não carrega sua cruz e não me segue não pode ser meu discípulo. Lucas14:26,27
>
- se preferir texto parado, pare o mouse sobre o versículo-

Abaixo publico algumas anotações sobre estes versículos.
Não deixe de ler as citações bíblicas, pois delas é que compartilho
* Deus nos abençoe *
***
*Faça a sua reflexão sobre estes versículos, pois DEUS quer falar diretamente com você, lembre-se que ELE te chama pelo seu nome e quer escrevê-lo e mantê-lo no Livro da Vida Eterna.*
***

(Se necessário, ATUALIZE A FOLHA PARA VISUALIZAR AS ANOTAÇÕES DOS VERSÍCULOS DE HOJE
http://wwwcompartilhar.blogspot.com/


quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Versículos do dia: O Plano contra Jesus, e o fazer o bem

E consultaram-se mutuamente para prenderem Jesus com dolo e o matarem.
Mas diziam: Não durante a festa, para que não haja alvoroço entre o povo.
Mateus26:4-5

Porque sempre tendes os pobres convosco, e podeis fazer-lhes bem, quando quiserdes; mas a mim nem sempre me tendes.
Marcos14:7





Já se aproximando a páscoa dos judeus, Jesus prevê aos seus discípulos sua crucificação.
E sendo que os saduceus, escribas e fariseus nunca encontravam oportunidade de perante a lei pegar Jesus em suas pregações, formaram um conselho para então pegar Jesus a traição, intencionalmente violariam a lei, e pretendiam mesmo assim matar Jesus. Mas ainda temiam o povo e decidem que não fosse durante a festa de páscoa para que este não se alvoroçasse.

“E aconteceu que, quando Jesus concluiu todos estes discursos, disse aos seus discípulos:
Bem sabeis que daqui a dois dias é a páscoa; e o Filho do homem será entregue para ser crucificado.
Depois os príncipes dos sacerdotes, e os escribas, e os anciãos do povo reuniram-se na sala do sumo sacerdote, o qual se chamava Caifás.
E consultaram-se mutuamente para prenderem Jesus com dolo e o matarem.
Mas diziam: Não durante a festa, para que não haja alvoroço entre o povo.
Mateus26:1-5

João em seu relato do evangelho de Jesus, cita a ressurreição de Lazaro entre outros prodígios realizados por Jesus, o que deixava furiosos os fariseus e os principais dos sacerdotes, entre eles muitos saduceus. Temiam também as autoridades politicas de lhes tomarem a nação. E o sumo sacerdote naqueles dias, Caifás, profetiza, como também já era contido nas escrituras sagradas, que convinha que Jesus morresse pelo povo, para que não pereça toda a nação, no entanto ele pensava somente em termos terrenos, mas bem o sabemos que já profetizava a respeito de um único corpo os que viriam a se tornar filhos de Deus em Cristo Jesus.
A partir de então ficavam se consultando e aguardando oportunidade para matar Jesus. Mas Jesus se retirava para o deserto.
E era próxima a festa da páscoa, e já muitos de toda a região se reuniam em Jerusalém para purificação em seus sacrifícios. E aproveitando os principais dos sacerdotes e os fariseus tinham dado ordens para que quem soubesse onde Jesus estivesse para o denunciar e assim o prenderem.


"Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo a Maria, e que tinham visto o que Jesus fizera, creram nele.

Mas alguns deles foram ter com os fariseus, e disseram-lhes o que Jesus tinha feito.
Depois os principais dos sacerdotes e os fariseus formaram conselho, e diziam: Que faremos? porquanto este homem faz muitos sinais.
Se o deixamos assim, todos crerão nele, e virão os romanos, e tirar-nos-ão o nosso lugar e a nação.
E Caifás, um deles que era sumo sacerdote naquele ano, lhes disse: Vós nada sabeis,
Nem considerais que nos convém que um homem morra pelo povo, e que não pereça toda a nação.
Ora ele não disse isto de si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação.
E não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos.
Desde aquele dia, pois, consultavam-se para o matarem.
Jesus, pois, já não andava manifestamente entre os judeus, mas retirou-se dali para a terra junto do deserto, para uma cidade chamada Efraim; e ali ficou com os seus discípulos.
E estava próxima a páscoa dos judeus, e muitos daquela região subiram a Jerusalém antes da páscoa para se purificarem.
Buscavam, pois, a Jesus, e diziam uns aos outros, estando no templo: Que vos parece? Não virá à festa?
Ora, os principais dos sacerdotes e os fariseus tinham dado ordem para que, se alguém soubesse onde ele estava, o denunciasse, para o prenderem.
João11:45-57

E, neste tempo, estando Jesus em Betânia, na casa do leproso Simão, aproximando-se uma mulher, que João em sua narrativa cita como sendo Maria irmã de Lazaro ressuscitado, e derrama sobre Jesus um vaso de unguento de grande valor, ação esta que deixou os discípulos indignados, e um deles, que segundo João era Judas Iscariotes, pergunta o porque do desperdício por parte daquela mulher, que deveria então ter vendido e repartido aos pobres. Aqui João declara que Judas era ladrão e roubava da bolsa que era arrecadada aos discípulos.
No entanto Jesus lhes repreende e diz que aquela mulher estava prestando uma boa ação para com Ele, pois já o ungia para o dia de seu sepultamento, pois era sabedor que estava próximo, e ainda diz que deveria ficar registrado para que todos que viessem a ter conhecimento do evangelho ficasse o sabendo para memória daquela mulher.

“E, estando Jesus em Betânia, em casa de Simão, o leproso,
Aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, com ungüento de
grande valor, e derramou-lho sobre a cabeça, quando ele estava assentado à mesa.
E os seus discípulos, vendo isto, indignaram-se, dizendo: Por que é este desperdício?
Pois este ungüento podia vender-se por grande preço, e dar-se o dinheiro aos pobres.
Jesus, porém, conhecendo isto, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? pois praticou uma boa ação para comigo.
Porquanto sempre tendes convosco os pobres, mas a mim não me haveis de ter sempre.
Ora, derramando ela este ungüento sobre o meu corpo, fê-lo preparando-me para o meu sepultamento.
Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua
Mateus26:6-13

“Foi, pois, Jesus seis dias antes da páscoa a betânia, onde estava Lázaro, o que falecera, e a quem ressuscitara dentre os mortos.
Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele.
Então Maria, tomando um arrátel de ungüento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do ungüento.
Então, um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, filho de Simão, o que havia de traí-lo, disse:
Por que não se vendeu este ungüento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres?
Ora, ele disse isto, não pelo cuidado que tivesse dos pobres, mas porque era ladrão e tinha a bolsa, e tirava o que ali se lançava.
Disse, pois, Jesus: Deixai-a; para o dia da minha sepultura guardou isto;
Porque os pobres sempre os tendes convosco, mas a mim nem sempre me tendes.
João12:1-8

Atentemos para o que Jesus disse sobre esta atitude daquela mulher, que era uma boa ação que praticou para com Ele, referindo-se a boa ação para com os pobres que poderiam fazê-lo quando quisessem , pois sempre haveria pobres entre eles, no entanto Ele não estaria mais ali com eles.
Lembrando ainda que a questão do pobre era parte da lei deles, dos judeus, de lhes fazerem bem, lhes darem sem avareza e com amor o tanto que lhes forem necessário para suas necessidades. Sendo ainda lhes imputado como pecado se o deixassem de fazer. Que lhes desse de vontade própria, com amor, e seriam então abençoados sempre para fazerem boas obras, e não faltar aos pobres, era uma ordenança. .

“Quando entre ti houver algum pobre, de teus irmãos, em alguma das tuas portas, na terra que o Senhor teu Deus te dá, não endurecerás o teu coração, nem fecharás a tua mão a teu irmão que for pobre;
Antes lhe abrirás de todo a tua mão, e livremente lhe emprestarás o que lhe falta, quanto baste para a sua necessidade.
Guarda-te, que não haja palavra perversa no teu coração, dizendo: Vai-se aproximando o sétimo ano, o ano da remissão; e que o teu olho seja maligno para com teu irmão pobre, e não lhe dês nada; e que ele clame contra ti ao Senhor, e que haja em ti pecado.
Livremente lhe darás, e que o teu coração não seja maligno, quando lhe deres; pois por esta causa te abençoará o Senhor teu Deus em toda a tua obra, e em tudo o que puseres a tua mão.
Pois nunca deixará de haver pobre na terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra.
Deuteronômio15:7-11

“E, quando teu irmão empobrecer, e as suas forças decaírem, então sustentá-lo-ás, como estrangeiro e peregrino viverá contigo.
Não tomarás dele juros, nem ganho; mas do teu Deus terás temor, para que teu irmão viva contigo.
Não lhe darás teu dinheiro com usura, nem darás do teu alimento por interesse.
Eu sou o Senhor vosso Deus, que vos tirei da terra do Egito, para vos dar a terra de Canaã, para ser vosso Deus.
Levítico25:35-38

Pois bem não temos mais uma lei para cumprir, temos Jesus por Salvador, mas temos que ter fidelidade para com Deus, temos que colocar em prática os ensinamentos de Jesus, fazermos a obra tal qual Ele ensinou e nos deu autoridade e poder de fazê-la, e Ele mesmo nos vem confirmar esta ordenança mencionando os pobres que sempre estarão conosco, se não estivermos agindo assim seremos comparados aqueles fariseus que já haviam deturpado a lei de acordo com seus interesses e queriam prender e matar Jesus.
Que não esperemos por festividades e eventos para fazer o bem, ou para nos purificar no sangue do Cordeiro, para sermos vistos pelos demais, que o façamos como nosso modo de vida, senão estaremos sim agindo com traição aos ensinamentos de Jesus.
Pois sim podemos 'matar Jesus' no coração de quem nem o conhece com palavras e atitudes contrárias ao evangelho. Se deixarmos de fazer a obra de Deus tal como Jesus nos ensina, estaremos formando também  conselho no sentido de trair Jesus  se concordarmos com as heresias dentro das igrejas.
Lembremo-nos do grande julgamento, que lemos ontem neste blog, e por Jesus já dito e confirmado que pobres, quer seja de condições financeiras como de situação espiritual, sempre o teremos entre nós, e cabe a cada um de nós lhes fazer o bem ou não. Pois só o fato de sabermos destas ordenanças e não a cumprirmos já pecamos em não fazer o bem.
Sigamos o exemplo da mulher que ungiu Jesus, e Ele o teve como boa obra para com Ele. Pois sim não o temos mais entre nós para ungi-lo, nem é necessário, já ressuscitou e o temos por Rei Vivo e eternamente, mas temos 'os pobres', 'os pequeninos', que como Ele mesmo o disse se o fizermos a estes estaremos também fazendo à Jesus.

Porque sempre tendes os pobres convosco, e podeis fazer-lhes bem, quando quiserdes; mas a mim nem sempre me tendes.
Marcos14:7

"Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.
Tiago 4:17

“E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
Mateus25:40

“Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.
Mateus25:45

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; João 5: 39”

C O M P A R T I L H A R... isto é viver...é aprender...






Recomendo que clique no link indicado no final de cada postagem efetuada só com a introdução, para leitura integral do texto publicado na íntegra na folha CONTINUA.