Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6

__________________VERSÍCULOS DO DIA ______________

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. João1:1
E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade. João1:14
>
- se preferir texto parado, pare o mouse sobre o versículo-

Abaixo publico algumas anotações sobre estes versículos.
Não deixe de ler as citações bíblicas, pois delas é que compartilho
* Deus nos abençoe *
***
*Faça a sua reflexão sobre estes versículos, pois DEUS quer falar diretamente com você, lembre-se que ELE te chama pelo seu nome e quer escrevê-lo e mantê-lo no Livro da Vida Eterna.*
***

(Se necessário, ATUALIZE A FOLHA PARA VISUALIZAR AS ANOTAÇÕES DOS VERSÍCULOS DE HOJE
http://wwwcompartilhar.blogspot.com/


domingo, 24 de setembro de 2017

Versículos do dia: Jesus o Verbo de Deus, a Luz dos homens


No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
João1:1

E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.
João1:14







Jesus, a Palavra de Deus, o próprio Deus que se fez homem, a Vida e Luz dos homens, João relata-nos muito bem isto:

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

No princípio criou Deus o céu e a terra.
E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.
E disse Deus: Haja luz; e houve luz.
(…)
E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. (…)
E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca; e assim foi. (…)
E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi. (…)
E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos. (…)
E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus. (…)
E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi. (…)
E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. (…)
Jesus, o Verbo de Deus, e o Verbo era o próprio Deus, atentemos que Deus com o Verbo, Palavra em ação, dava uma ordem para que fossem criadas as coisas: “E disse Deus…. “
Nele, em Jesus, estava a vida de tudo quanto criado, e a vida era a luz dos homens. Atentemos que por último Disse Deus: “ Façamos o homem à nossa imagem, conforme nossa semelhança...”
e antes já dito “ e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” , 
Sim era Deus, o Verbo, e o Espirito de Deus, e Deus não disse haja o homem, não Ele disse: “Façamos o homem…” , sim o homem feito por Deus em Sua Trindade. Atentemos que disse: à nossa imagem, conforme nossa semelhança, Sim era Deus, Jesus e o Espirito Santo, sim o homem criado nesta imagem nesta semelhança, e era Jesus a Vida e era a Luz dos homens.

Mas por causa do pecado o homem perde a semelhança desta santidade, fica afastado de Deus, perdendo a Luz da vida.
Mas Deus não desistia do homem e enviava Seu Espirito para falar aos profetas, para que o homem tivesse a Palavra de Deus a se guiar, já nas trevas que se encontravam, mas o homem não aceitava, cada vez mais se afastava de Deus, cada vez mais nas trevas do pecado,
Mesmo assim Deus não desistiu do homem, como sabemos abençoando Abraão para ser uma grande nação na Presença de Deus, e o homem continuava a se afastar. E já estando aquele povo escolhido por Deus em cativeiro no Egito, Deus prepara e envia Moisés para os libertar e levá-los a uma terra que Deus promete ser abençoada, onde teriam os cuidados de Deus, as bençãos de Deus, estariam na Presença de Deus, seriam o povo de Deus, realizando para isso grandes prodígios aos olhos de todos, mesmo assim aquele povo resmungava, pediam a volta ao cativeiro do Egito, não estavam vendo a luz da Vida em Deus, não obedeciam, e se esqueciam rápido de bençãos e milagres recebidos. Mesmo assim Deus faz uma aliança com aquele povo, lhes dá uma lei a ser cumprida, para que fossem distinguidos das demais nações como povo de Deus, um Único Deus, Verdadeiro e Criador, abençoados e vitoriosos em sua terra prometida, mas aquele povo era desobediente, se contaminavam com outros povos e com seus deuses criados por eles próprios, sendo infiéis a Deus, se afastavam de Deus, não davam ouvidos aos profetas de Deus que lhes falavam, pelos quais eram lhe apresentadas as bençãos de Deus ou a maldição no mundo, mas eles continuavam desobedientes e infiéis, corromperam a aliança, distorceram a lei, matavam os profetas que Deus enviava. Se afastando cada vez mais de Deus, vivendo já cegos quanto ao Deus Criador, em total trevas pelo pecado no mundo.

Mas Deus em suas misericórdias e Amor, realiza o maior feito a favor do homem, se fazendo homem através de Seu Filho Amado Jesus, que veio ao mundo para devolver a Vida ao homem na semelhança de Deus, sendo a Luz desta Verdade, veio àquele povo escolhido por Deus, em sua descendência nasceu Jesus, e pregava o arrependimento ao pecado para se voltarem a Luz de Deus, mas aquele povo não compreenderam o feito de Deus, mesmo tendo Deus tantas vezes antes já predito em profecias, mas aquele povo estava totalmente afastados de Deus, e não enxergaram a Luz, rejeitaram a Jesus.

Mas antes de Jesus ter iniciado seu ministério, Deus ainda envia a João Batista, o último profeta a anunciar a Jesus, a testificar da Luz para que houvesse arrependimento e conversão das trevas à Luz

“Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.
Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.
Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz.
Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.
Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.
Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.
João1:6-14

E João testemunhou, e Jesus exerceu seu ministério, sendo a Luz verdadeira para iluminar o Caminho da Verdade de Vida ao homem, estava no mundo que feito por Ele, mas o mundo não o reconheceu. Veio para dar Vida ao homem afastado de Deus, mas aquele povo escolhido não o receberam.

E o testemunho temos até hoje através da Palavra de Deus, a Bíblia, e de todos os discípulos e apóstolos, e ainda nos sendo confirmada pelo próprio Espirito Santo de Deus, e mesmo assim quantos são os que ainda não aceitam Jesus, que o rejeitam por Único e Suficiente Salvador, que cegos pelas trevas do mundo não reconhecem a Luz da Verdade.
Mas atentemos que todos, sem discriminações, que recebem a Jesus, que se convertem das trevas do pecado à Luz da Vida, todos quanto crerem no Seu Nome, recebem o poder de ser feito filho de Deus, passa de criatura para filho de Deus, que deixam o nascimento da carne e nascem de novo pelo Espirito de Deus.
E viveu Jesus entre os homens, como homem Ele aqui viveu, e foi vista a sua Glória e dela temos o testemunho, glória do Filho Unigênito do Pai, que nos veio pela Graça de Deus em Sua Verdade.


“João testificou dele, e clamou, dizendo: Este era aquele de quem eu dizia: O que vem após mim é antes de mim, porque foi primeiro do que eu.
E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça por graça.
Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.
Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou.
João1:15-18


Aquele povo teve a lei de Deus dada por Moisés, e a Graça e Verdade vieram por Jesus Cristo, e não o aceitaram, mesmo tendo o privilégio de tê-lo entre eles de ter sido lhes revelado o Deus Verdadeiro, o rejeitaram.
Tiveram a João que lhes testificava, pregava o arrependimento (( vejam esta postagens em : http://wwwcompartilhar.blogspot.com.br/2017/06/versiculos-do-dia-arrependimento.html,) anunciava o Caminho da Verdade, batizava com água.

Nós temos os testemunhos, temos a redenção e Salvação em Cristo Jesus, que por nós morreu e fora ressuscitado, temos o próprio Espirito Santo de Deus para nos confirmar.

Mas Jesus fora rejeitado, e ainda há muitos até hoje que o rejeitam, que continuam nas trevas do pecado.

E nós verdadeiramente aceitamos a Jesus como Luz da Vida, estamos vivendo da Graça Maravilhosa de Deus sobre nossas vidas? Cremos que tão somente por Ele e para Ele é que vivemos e subsistimos?


“Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.
E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.
Colossenses1:16,17






A partir de hoje vou fazer postagens meditando no Evangelho de Jesus segundo João, acompanhe, faça a sua meditação pessoal, Deus tem muito a nos falar individualmente, deixe seu comentário para edificação. 

sábado, 23 de setembro de 2017

Versículos do dia: Oportunidades de se achegar a Jesus


E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz;
E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano
Lucas17:15,16


E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.
Lucas19:9









E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passou pelo meio de Samaria e da Galiléia;
E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe;
E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós.
E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos.
E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz;
E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano.
E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove?
Não houve quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro?
E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.
Lucas17:11-19


Vejamos que aqueles leprosos saíram ao encontro de Jesus, mas por suas condições de impuros não podendo se aproximar, pararam ao longe, mas dali clamaram pela misericórdia de Jesus. Atentemos que mesmo estando eles ao longe Jesus os vê, e os atende dizendo que eram para ir aos sacerdotes, pois era ritual deles que quando excluídos da sociedade por causa da lepra tinham que de tempo em tempo se apresentar aos sacerdotes para verificação de suas situações, e para o caso de ter havido cura, ainda tinham uma série de rituais a cumprirem para serem reintegrados na comunidade (Lv 14:1-32), mas assim que foram eles já ficaram limpos, curados, e um deles vendo que tinha recebido a cura, volta glorificando a Deus em alta voz, veja que já se aproximou, se prostrou aos pés de Jesus humildemente agradecido. Atentemos que este não deu primeiro importância aos rituais que por tradições tinham que cumprir, volta se aproximando de Jesus e em primeiro lugar o adora prostrando aos seus pés, dando-lhe graça. O texto não diz mas creio que os outros nove ansiosos continuaram rumo aos sacerdotes para provarem sua cura e poderem novamente de acordo com suas tradições voltarem ao convívio da família e comunidade, mas aquele que voltou primeiramente deu graças a Deus, mesmo sendo um samaritano.
Mas atentemos o quanto Jesus observa todo este comportamento, e indaga que sendo dez apenas aquele estrangeiro se voltou em ato de fé e agradecimento. E então dizendo a ele se levantar e ir pois a fé dele o havia salvado.
Atentemos que há uma diferença entre a cura e a salvação, aqueles dez tinham recebido a cura, mas somente aquele que voltou fora salvo.
Pois assim é o agir de Jesus, sim nos ouve se clamarmos mesmo quando estamos afastados Dele, e nos atende, mas primeiramente nos dá o livramento para a situação que está a nos causar a distância Dele, mas espera que nos voltemos à Ele, e não que prossigamos em nossos erros, tradições, rituais. Sim uma cura um livramento pode ser a primeira forma de Jesus nos chamar a achegarmos à Ele, mas não significa que a partir dali já temos a salvação, pois esta vai depender de nossas atitudes de fé a partir de então, se vamos dar honras e glórias a Deus, reconhecermos humildemente que somos carecedores de cura, e que primeiramente vamos ouvir a sua voz em vez de nos entregarmos novamente as mesmas tradições anteriores.
Temos que estar atentos as oportunidades que temos de nos achegar a Jesus, como aquele que voltou a teve e aproveitou.

Vejamos uma outra passagem logo a seguir onde Zaqueu também aproveita sua oportunidade:


E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando.
E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico.
E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura.
E, correndo adiante, subiu a uma figueira brava para o ver; porque havia de passar por ali.
E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa.
E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente.
Atentemos que Zaqueu era um homem de negócios, chefe entre os publicanos, rico, mas já tinha ouvido falar de Jesus e conhecia de seus ensinamentos, e sabendo que Ele estava passando, mas por causa da multidão não o podia ver por ser de estatura baixa, resolve subir em uma figueira brava, árvore de difícil escalada por causa de suas raízes e látex, mas ele se humilhou a subir nela, imaginemos a cena um homem rico, poderoso, na frente de uma multidão sobe em uma árvore, e o fez só para ver Jesus.
Agora atentemos bem, que Jesus chegando, olha para cima, já o sabendo que estava ali, e prestemos atenção que o chama por seu nome, e ainda se convida a ir pousar em sua casa. Pois sim Jesus já conhecia as intenções do coração de Zaqueu, que prontamente desceu e o recebeu alegremente ,


“E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador.
E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado.
E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão.
Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
Lucas19:7-10

Atentemos que Jesus fora reprovado por se hospedar em casa de um pecador, mas lembremos que Jesus conhecia intimamente Zaqueu. E Jesus veio buscar e salvar o que havia se perdido e não os justos.
E vejamos o que Zaqueu primeiramente recebe Jesus com alegria, e   espontaneamente oferece metade de seus bens aos pobres, e reconhece ser injusto se comprometendo a restituir quatro vezes mais o que tenha defraudado, isto sem Jesus o exortar.
Vejamos que Jesus não exclui os que possuem riqueza de entrar no reino dos céus, tanto que se convidou a ir se hospedar com Zaqueu, por conhecer seu interior, por saber que este iria utilizar suas riquezas na obra do Senhor, que se arrependia e não voltaria a ser corrupto, mas que firmaria uma nova Aliança com Deus, pois anuncia que a salvação tinha entrado naquela casa.
Atentemos que Jesus chama a Zaqueu, se convida a pousar com ele, e Zaqueu prontamente o recebe com alegria. 
E assim Jesus continua até hoje batendo na porta de corações se convidando a entrar, e como tem sido recebido?  
Atentemos quanta diferença entre Zaqueu e o jovem rico a quem dias antes Jesus havia repreendido, pois aquele se achegou a Jesus com orgulho por cumprir os mandamentos, se achando melhor, no entanto interiormente desprezava o próximo, o pobre, e quando Jesus lhe falou então a vender o que tinha e distribuir, para depois o seguir, aquele foi embora entristecido, por ter apego as suas riquezas, enquanto Zaqueu não tinha este apego, se voltou a Jesus humildemente, e alegremente de coração dispôs de suas riquezas aos pobres.
Atentemos que Zaqueu não precisou se desfazer de tudo, continuou sendo rico tendo seus desfrutes, Deus não é contra que tenhamos conforto e bens nesta vida, pelo contrário até nos concede desde que não sejamos totalmente apegados a eles, que não amemos mais as riquezas do que a Deus, do que ao próximo.
O Jovem rico desperdiçou a oportunidade de seguir a Jesus, enquanto que Zaqueu aproveitou totalmente a oportunidade de ter a visita de Jesus.

Vimos que Jesus estava a caminho de Jerusalém, quando estes ocorridos, e chegando lá já o sabemos que humildemente entrou nela montado em um burrinho, mas sendo aclamado pelos discípulos, do que os fariseus reclamara a Jesus para os repreender, no entanto Jesus diz que se aqueles se calassem até as pedras falariam.
Mas atentemos ao que aconteceu quando Jesus ali chegou:

E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela,
Dizendo: Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos.
Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todos os lados;
E te derrubarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação.
Lucas19:41-44




Atentemos que apesar de Jesus não ter vindo para ser rei e dar paz na terra aqui prometida, mas tinha sido enviado para lhes garantir vitórias também aqui, pois tinha compaixão daquele povo, mas desde que se arrependessem e se voltassem aos ensinamentos de Jesus para a maior vitória de vida e paz interior se aceitando o reino dos céus, o que rejeitaram e perderam também seus bens aqui. Povo que perdeu totalmente a oportunidade que tiveram de ter Jesus por Salvador, mesmo tendo Ele vivendo entre eles.




E nós estamos atentos as oportunidades que temos de nos voltar a Jesus?  pois temos até o Espirito Santo conosco, de reconhecer que toda a honra e glória pertencem a Deus, de nos achegarmos a Jesus, de deixarmos apegos as coisas materiais, de sermos humildes reconhecendo nosso pecado, nos arrependendo e recebendo Jesus por Único e Suficiente Salvador, de buscarmos primeiro pelo reino dos céus, onde lá sim seremos uma Nação santa, purificada e reinada por Jesus. 

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Versículos do dia: O rico e Lázaro


Ora, havia um homem rico, e vestia-se de púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias regalada e esplendidamente.
Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele;
Lucas16:19,20


Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu atormentado.
Lucas16:25








Jesus certa ocasião conta uma história para ensinar a seus discípulos, e principalmente aos fariseus que estavam ali zombando de Jesus pela parábola anterior que falava do mal de se amar ao dinheiro, de não ser possível amar a dois senhores, atentemos que Jesus vai usar uma linguagem que os fariseus tinham, que eram suas tradições de acordo com seus corações e não segundo as Escrituras já distorcidas por eles, mas Jesus lhes fala de modo que viessem a entender sobre os galardões na terra e no céu.

“Ora, havia um homem rico, e vestia-se de púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias regalada e esplendidamente.
Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele;
E desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as chagas.
E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado.
E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio.
E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.
Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu atormentado.
Atentemos que Jesus está apenas ensinando e não relatando um fato real, aquele rico era vaidoso e fazia uso de sua riqueza para se sentir seguro e lindo, vivia pelo prazer de seus bens esplendidamente todos os dias; o que eram geralmente os ricos, e naquela época ainda achavam ser mais puros e assim  abençoados por Deus e salvos, e tinham este parecer os fariseus de si mesmos. Por isso Jesus ensinando a estes sobre riquezas que afastam o homem de Deus.
Enquanto isso à sua porta vivia um mendigo, Lazaro, cheio de feridas, e que humildemente ficava esperando se alimentar com as migalhas que caiam da mesa do rico, como um cão, aliás os quais lambiam suas feridas. Pois assim achavam aqueles daquela época serem os pobres pecadores  desprezados por Deus, e assim eles, os fariseus, os desprezavam.
Mas Jesus ensinava que não importava os galardões nesta terra mas sim a vida no por vir.

Vindo aquele mendigo morrer foi levado pelos anjos ao ceio de Abraão nos céus. E morrendo também o rico que foi para o inferno. Atentemos aqui que isto que Jesus diz era como os fariseus pensavam em suas tradições distorcidas das escrituras, pois depois da morte todos aguardarão a ressurreição para julgamento.
Atentemos que Jesus está colocando a história como se fosse mais uma parábola para ensinar então aos fariseus, usando então de suas crenças que por eles mesmo distorcidas das Escrituras. Alguns até dizem ser um fato real pela razão de Jesus dado nome ao pobre, o que não costumava fazer em suas parábolas. Bem se fato real ou parábola o texto não deixa claro, eu particularmente creio que Jesus dera nome ao pobre porque sim conhece a cada um dos seus, conhece até as intenções dos corações, mas os que são filhos de Deus são chamados individualmente por seus próprios nomes, e como iria dizer que aquele tinha ganho o reino do céu já lhe dera nome. .
Não que seja literalmente ocorrida, mas faz referência que que sim existe tanto o céu como o inferno, ao contrário do que muitos hoje em dia dizem não existir inferno nenhum, e sim que tormento é aquele lugar, que o rico rogava pela ponta de dedos molhados para refrescar sua língua, não que seja este corpo sendo queimado, mas que estava sim a padecer nas chamas, sim o inferno arde em chamas! Senão Jesus não teria feito esta referência.

Atentemos que nada lhe adiantou ao rico ajuntar riquezas na terra, ter do bom e do melhor, ser vaidoso, creio que avarento, pois fora para o inferno, tendo então um viver dissoluto, confiando em seus bens não amando aos preceitos de Deus. Atentemos que já era tarde para se humilhar, pois sim uma figuração que se humilhava pedindo que o mendigo lhe fosse refrescar a língua, mas de nada adiantava mais, era atormentado.
Atentemos que faz referência ao rico estar vendo Lazaro no céu, e não de que Lazaro estivesse vendo o sofrimento do rico no inferno, não que signifique que há comunicação entre céu e inferno, mas demonstra o desespero do rico querendo ser salvo daquele sofrimento, e que depois da morte nada mais pode ser feito. Como sabemos todos ficarão aguardando inconscientes o dia do juizo final, mas Jesus já estava se referindo ao depois da condenação.
Jesus está ensinando que sim o rico teve seus galardões somente em terra sem se preocupar em ter riqueza no céu.
Enquanto isso vejamos que Lazaro, o mendigo, que vivia a miséria na terra, estava ali no céu sendo consolado e atendido, pois em terra não era um revoltado, mas aguardava humildemente pelas migalhas do rico, vivia com os cachorros, sendo desprezado pelo rico.
Atentemos ainda como Jesus continua com o relato:

E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá.
E disse ele: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai,
Pois tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento.
Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos.
E disse ele: Não, pai Abraão; mas, se algum dentre os mortos fosse ter com eles, arrepender-se-iam.
Porém, Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite.
Lucas16:26-31

Atentemos bem que é agora nesta vida que conquistamos o céu ou merecemos o inferno, porque depois da morte carnal, nada mais será feito pelo espiritual, pela vida eterna, que já sentenciada de acordo com este viver, porque entre céu e inferno há um abismo que ninguém pode passar, já não tem mais como fazer algo para no inferno ainda angariar o céu.
E ainda mais, depois da morte não podemos fazer mais nada por alguém ainda nesta vida, não há mais nem como interceder por elas.
Atentemos muito bem que os que aqui estão tem a disposição a Palavra de Deus, tinham aqueles na época a Moises e os profetas, hoje temos a Jesus que é a Verdade de Deus nos sendo discernido pelo próprio Espirito Santo de Deus. Não vem mortos como ressuscitados para nos dizer algo sobre céu ou inferno, temos aqui a nossa disposição esta Verdade, e não será testemunho de mortos que nos a farão discernir, mas sim o Espirito Santo de Deus. E só mediante arrependimento consciente aqui que teremos então a salvação.

Aqui Jesus coloca a vida de um rico e um mendigo para ensinar, pois como já dito na Palavra o dinheiro é a raiz de todos os males, o amor ao dinheiro afasta o homem de Deus, mas nesta comparação quem se acha 'um rico' nesta terra também é aquele que confia em si mesmo, em sua própria força, em suas próprias obras, um vaidoso, um orgulhoso, que acha que por si só pode se purificar e terá salvação, por isso se preocupa com o viver terreno acima de tudo, querendo ter honras e glórias terrenas, esquecendo-se dos preceitos de Deus, em buscar um tesouro no céu. E 'um pobre' é aquele humilde, um pobre de espirito próprio, sem soberba, que reconhece ser carecedor do Espirito de Deus para ter vida eterna, que se arrepende e aceita a Jesus como Único e Suficiente Salvador, independentemente de ter bens terrenos ou não, seja qual for a situação, a circunstância de vida que tem reconhece Deus como Deus sobre sua mera vida terrena. Um Deus de Amor, mas nosso Senhor, Remidor e Salvador.

Pois sim, só dois destinos para o fim desta vida terrena, uma vida eterna no céu ou uma vida eterna no inferno, é morte sem Deus ou vida espiritual eterna junto ao Deus de Amor, no reino dos céus. Não há meio termo, e é nesta vida que temos que angariar pelo céu, que somente em Cristo Jesus, para não ficarmos condenados ao inferno.
Não haverá um período depois da morte carnal em que ainda poderemos ter consciência e realizar algo a favor de nós ou de outros antes do julgamento final, todos da mesma forma como morreram aguardarão o Dia do Senhor, e o que contará naquele dia é o que vivemos nesta terra, do que daremos conta cada um de si.
E Jesus severamente na linguagem dos fariseus usava para os ensinar, pois estes associavam a riqueza à santidade e a pobreza ao pecado da própria pessoa ou de seus antepassados. Mas Jesus ensina que os galardões nesta terra nada tem haver com os galardões no céu, que o material não justifica o espiritual.

E quantos hoje ainda tem esta ideia farisaica do agir de Deus, quantos são que pregam uma doutrina de prosperidade nesta terra tão somente, que não dão valor aos preceitos de Deus. Pois sim muitos acabam por ter galardões nesta terra tão somente, com luxo desnecessário, mas perdem a oportunidade de se achegarem a Deus para a salvação em Cristo Jesus.


quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Versículos do dia: Administrando bens na terra


Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.
Lucas16:10

Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.
Lucas16:13








Jesus tinha ensinado a seus discípulos, com a parábola do filho pródigo, o quão Deus é amoroso, misericordioso e benevolente.
Mas Deus também é justo.
E Jesus continua ensinando com outra parábola do administrador infiel:

E dizia também aos seus discípulos: Havia um certo homem rico, o qual tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de dissipar os seus bens.
E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.
E o mordomo disse consigo: Que farei, pois que o meu senhor me tira a mordomia? Cavar, não posso; de mendigar, tenho vergonha.
Eu sei o que hei de fazer, para que, quando for desapossado da mordomia, me recebam em suas casas,

Um mordomo que perde sua função, devido consumir com os bens de seu senhor, sendo infiel em seu cargo, ficando ele preocupado do que viria a fazer sem seu emprego, pois arar a terra não podia, e tinha vergonha de ter que mendigar, dai planeja uma forma de resolver sua situação, e como já o era infiel, foi justamente a forma como o fez:

“E, chamando a si cada um dos devedores do seu senhor, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor?
E ele respondeu: Cem medidas de azeite. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e assentando-te já, escreve cinqüenta.
Disse depois a outro: E tu, quanto deves? E ele respondeu: Cem alqueires de trigo. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e escreve oitenta.
E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.
E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.

Terminando sua administração com maior infidelidade ainda para com seu senhor, pensando em angariar amizades no mundo onde pudesse encontrar amparo. Atentemos que até por seu senhor foi aplaudido em sua tolice, que em seu desespero ter agido prudentemente a seu favor, pois sim os filhos deste mundo são mais prudentes do que os filhos da luz.
Dizendo então Jesus que se é para ser do mundo, infiel a Deus, logo que se façam muitas amizades mundanas, com riqueza da injustiça, pois em suas necessidades seriam recebidos eternamente em seus tabernáculos injustos.
Continuando assim:

Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.
Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?
E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso?
Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.
Lucas16:10-13

Bem claro foi Jesus, pois quem é fiel o é desde no pouco quanto no muito, e quem infiel, injusto o será no pouco e no muito.
E se aquele era infiel com a riqueza que não era sua, como conseguiria sua própria? Pois sim quem nos dará o que temos de direito se no alheio somos infiéis? Atentemos que aquele mordomo fazia tudo pensando no dinheiro, em amor ao dinheiro em não ficar sem amparo material, não se importando com fidelidade, caráter, justiça, muito longe dos ensinamentos de Jesus. Que então diz : “ Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom” .
Pois sim servir ao dinheiro nos tira da presença de Deus, como vimos um pouco mais na publicação em : http://wwwcompartilhar.blogspot.com.br/2017/06/versiculos-do-dia-servir-deus-e-nao-ao.html .

Devemos administrar os bens terrenos sendo fiéis a Deus, seguindo os ensinares de Jesus, e não usar de fidelidade para com o dinheiro, sendo infiéis na administração apenas para angariar amizades terrenas, e nelas nos sentirmos protegidos e amparados, assim agem muitos nesta terra servindo a ricos e se elogiam entre si por procederem desta forma; esquecendo-se que as riquezas terrenas são apenas para os meros dias que aqui vivemos. . Devemos ser fiéis a Deus que é a nossa Luz e não sermos hábeis como os filhos do mundo que vivem em trevas, por isso temos que tomar cuidado com nossas atitudes com relação ao dinheiro por menores que sejam.

Em seguida Jesus ainda reprova os fariseus:

“ E os fariseus, que eram avarentos, ouviam todas estas coisas, e zombavam dele.
E disse-lhes: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações, porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação.
A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele.
E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei.
Lucas16:14-17

Atentemos ao que Jesus lhes diz que o que entre os homens é elevado, perante Deus e abominação.
Pois sim abomina o amor ao dinheiro a avareza, àqueles que acham que podem ser justificados com riquezas, e isto sempre colocava em suas profecias ao povo de Israel, mas estes não davam ouvidos, e a lei já tinham deturpado.
Mas Jesus diz que tudo quanto prometido, quanto a terra prometida que mana leite e mel e as bençãos terrenas ao seu povo, anunciadas pelos profetas, duraram até João Batista, que agora pregava o reino dos céus, com riquezas imensuráveis, onde ladrão nenhum entra e onde traça não rói, onde não há sofrimentos e dores, e dava todos os ensinamentos necessários para entrar nele, tendo que ser empregado força por parte do homem para neste entrar, sim muita força de vontade, abandonando antigas tradições, rituais, heresias, pois o caminho é apertado e a porta estreita, e que suas palavras não passarão, que toda a lei devia ser cumprida.

E sim Jesus cumpriu a lei, e na lei entregou seu próprio corpo em sacrifício a favor do homem, todas as profecias sobre Ele foram cumpridas. Ele fora totalmente fiel à sua missão na terra, Foi morto e ressuscitado. Venceu a própria morte por nós. Nos concedeu a oportunidade de termos vida!

Jesus exerceu seu ministério em total fidelidade ao Pai Celestial, nos ensinou a lei do amor, para termos um caráter renovado com um espiritual voltado a Deus, nos concedeu até do próprio Espirito Santo para que assim o seja.
Agora depende de nós como vamos administrar nossa vida aqui em terra, se em total fidelidade a Deus como Jesus o fez, sem amizades mundanas que nos venham a afastar de Deus, sem apego e amor ao dinheiro, sendo fiéis aos ensinamentos de Jesus sobre tudo quanto vamos fazer.
Nos preocuparmos em ajuntar tesouro no céu e não riquezas na terra, mas nos bens terrenos o sabendo administrar com fidelidade, com justiça, com um caráter renovado em Cristo Jesus.

Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.
Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.
1Timóteo 6:9-11







quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Versículos do dia: O filho pródigo


E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
Lucas15:20

E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas;
Lucas15:31






Jesus estava contando sobre as parábolas da ovelha e da dracma perdida, e quão jubilo há no céu por um pecador que se arrepende, e aproveitou para contar outra parábola a do filho pródigo:


E disse: Um certo homem tinha dois filhos;
E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda.
E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.
E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades.
E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos.
E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada.
E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!

Aquele moço não estava satisfeito com a abundância que tinha em sua fazenda, queria sair dali, queria ser 'dono de seu nariz', então pediu ao pai que lhe desse em dinheiro a parte que lhe cabia dos bens que possuíam. E o pai atendeu aquele filho, fez-lhe a vontade, mesmo não sendo obrigado a isto pois a herança se divide depois do pai morto, mas aquele permite ao filho sua loucura. E aquele então abriu mão do conforto que tinha ali, do amor do pai da família, e foi para bem longe viver de acordo com seus desejos de forma imoral, e gastou tudo quanto tinha. Passando necessidade, foi trabalhar no campo cuidando de porcos, e tamanha era sua necessidade que passava até fome desejando a comida dos porcos, e ali naquela situação sente saudade de casa, lembra que até os trabalhadores de seu pai tinham em abundância o que comer, e ele ali passando fome.

Esta parábola é sempre atual, quantos são os filhos que literalmente agem da mesma forma, deixam pai, mãe, conforto do lar, para viver uma vida mundana, querem 'ser donos de seu nariz' no entanto é onde perdem tudo, perdem o amor, a paz, o caráter, se envolvem com drogas com más companhias, passam necessidade, sufoco com bandidos, com polícia...e por mais que não dão o braço a torcer, sentem falta da boa vida que tinham antes.
Mas também literalmente quantos são os homens e mulheres que deixam sua família, para viverem uma vida dissoluta, mas hão de sentir necessidade, falta da presença de sua prole….

No entanto quantos e quantos que espiritualmente também agem como aquele filho pródigo, deixam de estar na presença do Pai Celestial, de ter seus cuidados, para se envolverem com coisas do mundo, querendo fazer tudo a seu modo, esbanjando a vida concedida pelo Criador; ou deixam de ir a igreja para ir a festas, bares, ou simplesmente por assistir uma TV ou ficar a toa mesmo, abrem mão de uma vida abençoada, do amor de Deus, para viver de acordo com seus desejos carnais somente. E Deus como Criador e Senhor, Pai amoroso poderia nos impedir de fazê-lo para nos proteger, mas como aquele pai nos dá, permite, a liberdade que escolhermos. Mas muitos esquecem que a verdadeira liberdade é se tornar filho do Criador, deixando de ser apenas criatura, mas filho e herdeiro do reino dos céus. Mas sim na dificuldade, na angustia, na dor, no sofrimento se lembram do Pai Celestial, sente falta de suas bençãos ….

Mas atentemos o que fez aquele filho pródigo:

“Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti;
Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros.
E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.
Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés;
E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos;
Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se.

Pois bem aquele se arrependeu, e voltou para casa, humildemente, pedindo perdão ao pai, lhe dizendo não ser mais digno de ser chamado de filho, mas que tivesse misericórdia e lhe aceitasse como trabalhador na fazenda, mas o pai se encheu de íntima compaixão e o recebeu aos beijos e abraços, lhe dando novas vestimentas, e o que mais necessitava, até mesmo um adorno, e ainda mais resolve dar uma festa com o melhor que tinha, para que todos se alegrassem com a volta de seu filho, que para ele estava como morto e reviveu, ficou perdido e foi achado.
E qual o pai que não se alegra e recebe ao filho que tinha se perdido e volta para casa? E qual é a mulher, ou homem que não se alegra em reatar um casamento, onde poderão criar os filhos em família?

Muito mais nosso Deus Criador nos recebe e nos acolhe, e como aquele pai nos dá o melhor, o seu perdão através de Cristo Jesus, se nos voltarmos à Ele, mas atentemos que tem que ser com verdeiro arrependimento, pois Ele conhece até as intenções de nosso coração, tem que ser na vontade de ter uma vida nova, e Ele nos dá novas vestimentas, sim a nossa purificação em Cristo Jesus, e já não se lembra mais de nosso erro passado, mas atentemos muito bem que temos que nos achegar a Ele humildemente, reconhecendo não sermos dignos de ser chamado de filho, reconhecendo que carecemos de seu perdão, de sua ajuda, do seu amor, que somente Ele nos pode Salvar, ai sim nos dará uma Nova Aliança, incorruptível, selada em Cristo Jesus, e nos chama de filho nos fazendo herdeiros do reino dos céus.
Mas lembremo-nos que nesta nova Aliança, assumimos um compromisso, teremos nossas responsabilidades a cumprir.

Agora atentemos quanto ao outro filho como ficou:

E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças.
E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo.
E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo.
Mas ele se indignou, e não queria entrar.
E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos;
Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado.
E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas;
Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-se.
Lucas15:25-32


Aquele irmão se indignou, não sentiu alegria com a volta do irmão, sentiu ciúme pela acolhida que o pai lhe tinha feito, parece até que preferia que o irmão continuasse perdido no mundo. Se sentia melhor que ele, mais merecedor do pai, no entanto não reconhecia o pai como pai amoroso e benevolente, mas sim como injusto. E revoltado fala isto ao pai, um filho errante também, no entanto o pai mansamente lhe fala que ele tinha tudo ali junto dele sendo seu herdeiro, e que achou justo dar uma festa ao filho que tinha morrido e reviveu.

Sim, e quantos são que ficam indignados com o agir de Deus, que ficam observando benção que pecadores recebem, que não acreditam na conversão dos outros que não se alegram com uma conversão, que se revoltam contra Deus por não receberem galardões nesta terra, esquecendo-se de que somos herdeiros do reino celestial, onde sim temos o maior tesouro, e aqui temos sim os cuidados e livramento do Pai que nos abençoa diariamente. Mas sim Deus nos chama de filhos nos confirma a herança nos céus, nos limpa e purifica todos os dias, mantêm Sua Aliança para conosco, que o maior banquete nos é reservado nas Bodas do Cordeiro.
Mas por vezes se é esquecido que Deus é Deus, que Ele é o Criador, Ele o Senhor, e que age de acordo com seu querer, que nós somos todos servos, e que sim Deus faz festa no céu com um pecador que se arrepende, e que junto conosco um dia vai então poder participar das Bodas. Deus não limita sua graça! É Pai misericordioso, longânimo, amoroso
Mas quantos que com ciúme de uma benção derramada sobre outro irmão, e revoltado cobram aquela benção que desejam, mas que muitas vezes trata-se de mero desejo carnal de uma alegria passageira, como era daquele irmão mais velho, uma simples festa para animar-se com seus amigos sem propósitos, ou com riquezas terrenas para próprio deleite carnal. Esquecendo-se que a maior benção já recebemos o perdão dos pecados, a Salvação em Cristo Jesus, e que temos os cuidados e livramentos de Deus diariamente. Pensando mais nas riquezas terrenas do que no amor e benevolência de Deus.

Sim Deus é Pai amoroso e faz festa com um pecador que se arrepende!
E nós nos alegramos com uma conversão? Lembramos que também recebemos da mesma graça? E não somos felizes com isso?Ou não festejamos tamanha dádiva? Se não que façamos então!
E então que nos alegramos em amor pelo que está sendo acolhido também!

Ainda há tempo de reconciliações com Deus, que espera sempre de braços abertos, o tempo de arrependimento é o agora, temos Jesus por advogado e intercessor com Seu Santo Espirito, pois chegará o dia que não haverá mais tempo, quer seja com nossa morte carnal ou com a volta em glória de Jesus, ai será tarde, não terá mais jeito, Jesus virá como Justo Juiz e não mais como conciliador e remidor.



Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar.
Isaías55:6,7
“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; João 5: 39”

C O M P A R T I L H A R... isto é viver...é aprender...






Recomendo que clique no link indicado no final de cada postagem efetuada só com a introdução, para leitura integral do texto publicado na íntegra na folha CONTINUA.