Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6

__________________VERSÍCULOS DO DIA ______________

E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e em sua mão direita uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus. Mateus27:29
E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sortes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Repartiram entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sortes. Mateus 27:35
>
- se preferir texto parado, pare o mouse sobre o versículo-

Abaixo publico algumas anotações sobre estes versículos.
Não deixe de ler as citações bíblicas, pois delas é que compartilho
* Deus nos abençoe *
***
*Faça a sua reflexão sobre estes versículos, pois DEUS quer falar diretamente com você, lembre-se que ELE te chama pelo seu nome e quer escrevê-lo e mantê-lo no Livro da Vida Eterna.*
***

(Se necessário, ATUALIZE A FOLHA PARA VISUALIZAR AS ANOTAÇÕES DOS VERSÍCULOS DE HOJE
http://wwwcompartilhar.blogspot.com/


domingo, 20 de maio de 2018

Aliança de Deus para com o homem -109, Jesus totalmente puro, sem pecado algum foi crucificado no lugar do pecador.



E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e em sua mão direita uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus.
Mateus27:29

E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sortes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Repartiram entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sortes.
Mateus 27:35






E como vimos ontem Jesus fora entregue a crucificação por Pilatos, embora o tinha por inocente, mas a pedido do povo. E muito Jesus sofreu, fisicamente, moralmente, emocionalmente, psicologicamente.
E sobre o relato da crucificação vamos rever umas anotações feitas aqui no blog, para nossa reflexão no dia de hoje:

“”


Logo após Jesus ser condenado injustamente é entregue aos soldados que o cobriram com uma capa de cor vermelha muito viva, puseram-lhe a coroa feita de espinhos,bateram Nele, deram-lhe um cetro, se ajoelhavam diante dele escarnecendo dizendo Salve o Rei dos Judeus, cuspiam Nele, batiam-lhe na cabeça com uma cana.


E logo os soldados do presidente, conduzindo Jesus à audiência, reuniram junto dele toda a coorte.
E, despindo-o, o cobriram com uma capa de escarlate;
E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e em sua mão direita uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus.
E, cuspindo nele, tiraram-lhe a cana, e batiam-lhe com ela na cabeça.
E, depois de o haverem escarnecido, tiraram-lhe a capa, vestiram-lhe as suas vestes e o levaram para ser crucificado.
Mateus27:27-31

É possível imaginarmos tamanha humilhação, dor física, mental e moral que Jesus sofria ali? Lembrando que totalmente justo e inocente o era. Mas a tudo suportou, isto por amor a nós. Que não nos esqueçamos disto antes de ficarmos murmurando em adversidades que passamos.
Depois de o haverem escarnecido e o espancarem, tiraram-lhe a capa e devolveram suas vestes para o levar a ser crucificado.
Tamanha já tinha sido os maltrato a Jesus, com açoites tanto já tinham lhe ferido, que tiveram que convocar um homem obrigando-o a carregar a cruz de Jesus, pois Ele não tinha mais forças físicas para o fazer, dá para imaginar em que situação se encontrava Jesus ali?


E, quando saíam, encontraram um homem cireneu, chamado Simão, a quem constrangeram a levar a sua cruz.
Mateus27:32

E seguia-o grande multidão de povo e de mulheres, as quais batiam nos peitos, e o lamentavam.
Jesus, porém, voltando-se para elas, disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; chorai antes por vós mesmas, e por vossos filhos.
Porque eis que hão de vir dias em que dirão: Bem-aventuradas as estéreis, e os ventres que não geraram, e os peitos que não amamentaram!
Então começarão a dizer aos montes: Caí sobre nós, e aos outeiros: Cobri-nos.
Porque, se ao madeiro verde fazem isto, que se fará ao seco?
E também conduziram outros dois, que eram malfeitores, para com ele serem mortos.

Entre a multidão, que a tudo seguia, tinha os bons e os ruins, e mulheres o lamentavam, e mesmo estando Jesus em tamanho sofrimento ainda encontra animo para lhes falar que não chorassem por Ele mas sim por elas mesmas, pecadoras, e seus filhos, proferindo mais uma vez sobre os finais dos tempos, já profetizado, quando muitos pedirão a própria morte. Atentemos que mesmo ao meio de tanta dor, sofrimento, angustia, Jesus ainda alerta ao arrependimento, pois haverá sim um fim.
Seguiam outros dois malfeitores que também seriam mortos.

E os altos de Áven, pecado de Israel, serão destruídos; espinhos e cardos crescerão sobre os seus altares; e dirão aos montes: Cobri-nos! E aos outeiros: Caí sobre nós!
Oséias10:8
E os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas;
E diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro;
Apocalipse6:15,16
No final da caminhada chegam no Calvário, onde Jesus é crucificado:

E, chegando ao lugar chamado Gólgota, que se diz: Lugar da Caveira,
Deram-lhe a beber vinagre misturado com fel; mas ele, provando-o, não quis beber.
E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sortes, para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Repartiram entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançaram sortes.
E, assentados, o guardavam ali.
E por cima da sua cabeça puseram escrita a sua acusação: este é jesus, o rei dos judeus.
E foram crucificados com ele dois salteadores, um à direita, e outro à esquerda.

E por cima dele estava escrita a sua acusação: O REI DOS JUDEUS.
E crucificaram com ele dois salteadores, um à sua direita, e outro à esquerda.
E cumprindo-se a escritura que diz: E com os malfeitores foi contado.

E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS.
E muitos dos judeus leram este título; porque o lugar onde Jesus estava crucificado era próximo da cidade; e estava escrito em hebraico, grego e latim.
Diziam, pois, os principais sacerdotes dos judeus a Pilatos: Não escrevas, O Rei dos Judeus, mas que ele disse: Sou o Rei dos Judeus.
Respondeu Pilatos: O que escrevi, escrevi.
Tendo, pois, os soldados crucificado a Jesus, tomaram as suas vestes, e fizeram quatro partes, para cada soldado uma parte; e também a túnica. A túnica, porém, tecida toda de alto a baixo, não tinha costura.
Disseram, pois, uns aos outros: Não a rasguemos, mas lancemos sortes sobre ela, para ver de quem será. Para que se cumprisse a Escritura que diz: Repartiram entre si as minhas vestes, E sobre a minha vestidura lançaram sortes. Os soldados, pois, fizeram estas coisas.
João19:17-24

Atentemos que segundo narrativa de João, foi o próprio Pilatos quem escreveu a gravura que fora colocada acima na cruz, tendo escrito, como se afirmando: O Rei dos judeus, e ao ser corrigido pelos soldados não volta atrás em seu feito, atentemos ainda que fora escrito em hebraico, grego e latim, para que todos que por ali passassem, por ser perto da cidade, e de ter gente de toda a região, pois comemorava-se a páscoa, e em suas línguas o pudesse ler.


Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.
Isaías53:12
Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha roupa.
Salmos22:18

Conseguimos imaginar tamanha dor dos pregos sendo cravados nas mãos e nos pés? Tamanho sofrimento da crucificação? E ainda após ter sido tão cruelmente espancado por todo o trajeto entre julgamentos e Calvário, provavelmente sem comer nada, pois estava preso e amarrado, imaginemos quão fraqueza na carne sentia ali, mas em nenhum momento pensou em desistir, já houvera decidido ser por sacrifício pelo homem.
Não vou entrar em detalhes, mas fiquem a vontade de procurarem informações sobre o que era uma crucificação, tudo o que ocorria com o corpo, a atrocidade, o tamanho das dores sentidas.
Mas estava ali Jesus sem nenhum crime, totalmente justo e puro, a tudo suportando tão somente por Amor. Já ouviu falar de alguma declaração de amor nestes termos? Pois é Jesus nos declarou este Amor.
E mesmo ao meio de tamanho sofrimento Jesus ainda encontra forças para clamar ao Pai pelos que o estavam condenando e crucificando, que amor é este por pecadores heim?!

E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes.
Lucas23:34

E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena.
Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.
Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.
João19:25-27

E assistindo a tudo isto estava Maria, mãe de Jesus, imaginemos qual era sua dor ali ao ver o filho naquela situação.
E Jesus mesmo ao meio de tudo aquilo, se compadece de sua mãe, se preocupa como futuro dela, pois era filho primogênito e naquela época era papel deste sustentar a mãe e irmãs se tivesse, logo vendo ali seu discípulo que mais amava e confiava, disse-lhe: Mulher, eis ai o teu filho, dizendo àquele Eis ai tua mãe, transferindo assim a sua responsabilidade para o discípulo de não deixar Maria desamparada.
Atentemos que Jesus se refere à Maria como mulher, e não como mãe, pois creio eu que ali dava por encerrado a missão de Maria, pois para onde iria após a ressurreição não necessitaria de mãe, tão somente do Pai Celestial.
Não constando na Bíblia nenhuma referência a alguma senhora digna de tal adoração, somente consta o Nosso Senhor, nosso Pai Celestial, Deus eterno!, e tão somente através de Jesus chegamos à Ele, à Ele todo Poder Honra e Glória.


E os que passavam blasfemavam dele, meneando as cabeças,
E dizendo: Tu, que destróis o templo, e em três dias o reedificas, salva-te a ti mesmo. Se és Filho de Deus, desce da cruz.
E da mesma maneira também os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus, escarnecendo, diziam:
Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça agora da cruz, e creremos nele.
Confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: Sou Filho de Deus.
E o mesmo lhe lançaram também em rosto os salteadores que com ele estavam crucificados.
Mateus27:39-44

Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo:
Salmos22:7
Confiou no Senhor, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer.
Salmos22:8


E todos quantos o via na cruz ficavam inconformados, pois Ele que esperavam por rei e salvador na terra estava com seus minutos contados em total fraqueza, e zombando diziam a Ele para que se salvasse se fosse Filho de Deus desceria da cruz. Também os escribas, saduceus, fariseus, os anciãos os príncipes dos sacerdotes, escarnecendo diziam que desde que salvou os outros, com tantos sinais, porque não salvava-se a si mesmo. Dizendo ainda que se descesse da cruz creriam Nele, quanta hipocrisia não? Os próprios que o condenaram!, mas se fosse então declarado rei sobre os judeus, o que bem podia requerer Jesus, teriam então que sim ser seus servos e crerem Nele, vê tamanha afronta a Jesus.
Mas atentemos que Jesus ali totalmente exposto, humildemente cumpria com a vontade do Pai, a qual já tinha aceito e decidido, estava a ser por sacrifício agradável à Deus pela humanidade. E tudo já profetizado anteriormente.
Dá para imaginar o que Jesus sentia ali naquele momento: Tamanha dor física, mental e moral, humilhação, afrontas.

Até mesmo um dos malfeitores que crucificado estava ali junto de Jesus blasfemava Dele, pedindo para salvar-se a Ele e aos dois que estavam na cruz, no entanto o outro o repreendia dizendo se não temia a Deus, pois era um condenado, dizendo ainda que a eles dois tinham feito justiça, eram criminosos, mas que Jesus era inocente e padecia junto deles, e ali arrependido reconhecendo Jesus por Rei eterno em um ato de fé esplêndida, aceitando o reino dos céus, pedindo a Jesus que se lembrasse dele,no que lhe confirmou Jesus que sim estaria com Ele.

E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós.
Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?
E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez.
E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.
E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.
Lucas23:39-43


Conseguimos conciliar a tudo isto? Jesus, homem como somos, ali sofrendo tanto, sem culpa alguma, já como maldição do pecado que Ele próprio nenhum sequer tinha mas que o passava para nos redimir dos nossos? Prestes a ter a morte de cruz, não resmungava, não clamava mais ao Pai, pois decidido já estava em ser por sacrifício por mim e por você.

Que lembremo-nos sempre deste sofrimento como homem que Jesus passou, antes de ficarmos resmungando, murmurando em nossas aflições, que tenhamos aprendido com as orações que Ele fez no Getêsemini, pois era com Ele o anjo do Senhor lhe dando paz e sustento.
Que nos lembremos de tão alto preço que pagou ali por nós, que entendamos de uma vez por todas que é somente através de Jesus que podemos chegar à Deus.
Que nos lembremos, para que possamos nos abrir completamente em orações a Ele, declarando todos nossos sentimentos, pois Ele sim nos pode compreender e justificar perante o Pai.

A cruz naquela época era símbolo de vergonha, de maldição, e Jesus tomou o lugar de Barrabás,pecador, lugar de todos nós, como disse Paulo se fazendo maldição por nós, nos resgatando da maldição da lei.
Tudo fora realizado por Deus, tudo já feito, agora depende de cada um de nós o aceitarmos ou não.



porquanto o pendurado é maldito de Deus;
Deuteronômio21:23

Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;
Gálatas3:13

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
João3:16




Quem quiser mais detalhes sobre o sofrimento de um corpo humano em uma crucificação, o que Jesus sofreu como homem, indico um site: http://www.ebdonline.com.br/estudos/sofrimentocristo.htmhttp://www.ebdonline.com.br/estudos/sofrimentocristo.htm

“”

Entendemos que Jesus, totalmente inocente, justo, fiel a Deus, e sem pecado algum, fora crucificado no lugar de Barrabás, preso por ser salteador, homicida, um pecador; e assim morreu Jesus no lugar de todos nós pecadores.

Dá para entender o que foi para Jesus nos firmar uma Nova Aliança com Deus? E estava prestes a selar com seu próprio sangue.
Como podemos nós desprezarmos tamanho feito de Jesus por nós?
E tem até hoje quem despreza Jesus publicamente com adoração a outros deuses, com rituais malignos, totalmente influenciados pelo mal.
Mas que meditemos muito no Evangelho de Jesus e no Novo Testamento que nos fora deixado, pois ainda tem muitos que apesar de ver Jesus como além de um profeta, mas que estão a deturpar, retirando ou acrescendo coisas aos ensinos de Jesus, com doutrinas, com coisas materiais, com outros nomes, colocando confiança em prosperidade terrena, com alusões e ilusões à espíritos, a rituais meramente do homem, enfim com todo tipo de heresia que anulam o sacrifício de Jesus na cruz…
Entendamos que somente Jesus nos é O Mediador entre Deus e o homem, Único sacrifício agradável e aceito por Deus, nosso Único e Suficiente Salvador.

Dá para entender o que quis dizer Jesus quando disse a seus discipulos “ Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me” ? Entendamos ir após Jesus, sim depois que fora julgado, condenado crucificado injustamente, conseguimos imaginar o quanto Ele como homem renunciou a si mesmo? E quão pesada lhe foi a cruz, que totalmente puro teve sobre si a maldição de todo o pecado, e ainda tendo sido tão maltratado estava sem forças humanas para tal? Dá para entender o que é seguir a Jesus após todo seu sofrimento e morte de Cruz?
E ainda mais maravilhosa nos é a Graça de Deus que a própria fé que temos nos foi por Ele concedida, sendo Jesus o autor desta fé, pois como homem passava tudo o que passara injustamente, crendo na Justiça de Deus, e sim nos consumou esta fé que sua própria vida entregou ao Pai ali na cruz.
Será que a nossa ‘cruz’ chega aos pés da ‘cruz’ que Jesus tomou sobre Sí e carregou?
Temos ou não razão suficiente para nos firmamos na Nova e Eterna Aliança de Deus para conosco em Cristo Jesus?



Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia.
E Pedro, tomando-o de parte, começou a repreendê-lo, dizendo: Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso.
Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens.
Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;
Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.
Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?
Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras.
Mateus 16:21-27

sábado, 19 de maio de 2018

Aliança de Deus para com o homem -108, Jesus totalmente inocente perante Pilatos e Herodes, mas condenado a morte no tribunal terreno




E foi Jesus apresentado ao presidente, e o presidente o interrogou, dizendo: És tu o Rei dos Judeus? E disse-lhe Jesus: Tu o dizes.
Mateus27:11

E, respondendo o presidente, disse-lhes: Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás.
Disse-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado.
Mateus27:21,22






Como temos visto estes últimos dias Jesus já havia decidido no Getsêmani em fazer a vontade do Pai até o fim, se entregou a prisão, fora levado ao sinédrio, fora julgado ilegalmente, condenado a morte injustamente e fora levado ao Tribunal de Pilatos para que sua condenação ficasse de forma pública a todos.
E sobre os interrogatórios perante o Tribunal da corte de Roma, já foram feitas algumas anotações aqui no blog, que passo a transcrever para nossa reflexão no dia de hoje:

“”


Jesus então é interrogado por Pilatos:

E foi Jesus apresentado ao presidente, e o presidente o interrogou, dizendo: És tu o Rei dos Judeus? E disse-lhe Jesus: Tu o dizes.
E, sendo acusado pelos príncipes dos sacerdotes e pelos anciãos, nada respondeu.
Disse-lhe então Pilatos: Não ouves quanto testificam contra ti?
E nem uma palavra lhe respondeu, de sorte que o presidente estava muito maravilhado.

Atentemos que Jesus mesmo sofrendo se cala, não se revolta nem mesmo requer sejam ouvidas testemunhas a seu favor, e tudo já proferido antes pelo profeta Isaías. Pilatos maravilhado, não achando culpa em Jesus o diz aos principais dos sacerdotes e a multidão que ali se encontrava, mas aqueles o acusavam ainda mais sobre seus ensinamentos.
Lucas na narrativa dos fatos menciona que nesta altura do interrogatório, Pilatos percebendo ser de jurisdição também de Herodes, que governava na Galiléia, mas que encontrava-se em Jerusalém, decide mandar Jesus para ser interrogado por Herodes.
Imaginemos tamanho sofrimento de Jesus amarrado sendo levado de um lado para outro para ser julgado como criminoso.
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
Isaías53:7

E disse Pilatos aos principais dos sacerdotes, e à multidão: Não acho culpa alguma neste homem.
Mas eles insistiam cada vez mais, dizendo: Alvoroça o povo ensinando por toda a Judéia, começando desde a Galiléia até aqui.
Lucas23:3-5
Então Pilatos, ouvindo falar da Galiléia perguntou se aquele homem era galileu.
E, sabendo que era da jurisdição de Herodes, remeteu-o a Herodes, que também naqueles dias estava em Jerusalém.
E Herodes, quando viu a Jesus, alegrou-se muito; porque havia muito que desejava vê-lo, por ter ouvido dele muitas coisas; e esperava que lhe veria fazer algum sinal.
E interrogava-o com muitas palavras, mas ele nada lhe respondia.
E estavam os principais dos sacerdotes, e os escribas, acusando-o com grande veemência.
E Herodes, com os seus soldados, desprezou-o e, escarnecendo dele, vestiu-o de uma roupa resplandecente e tornou a enviá-lo a Pilatos.
E no mesmo dia, Pilatos e Herodes entre si se fizeram amigos; pois dantes andavam em inimizade um com o outro.
Lucas23:6-12


Atentemos que Herodes já houvera ouvido falar de Jesus, de seus ensinamentos e milagres, e queria conhecê-lo, ver também seus sinais, e ali se alegrou em vê-lo, e interrogava Jesus com muitos questionamentos, mas Jesus nada respondia, enquanto que os principais dos sacerdotes e os escribas perante Herodes acusavam calorosamente Jesus com grande ímpeto. E vendo Herodes que Jesus não reagia, não demonstrava poder nenhum, o desprezou, e fazendo escarnio dele, com seus soldados vestiram Jesus com manto brilhante, o devolvendo a Pilatos. Atentemos que o fato faz com que Herodes e Pilatos se fizessem amigos, serem cúmplices de acordo com o interesse de cada um, e concordassem com tal julgamento, no entanto nenhum deles ainda acusavam Jesus a morte.

E, convocando Pilatos os principais dos sacerdotes, e os magistrados, e o povo,
Disse-lhes: Haveis-me apresentado este homem como pervertedor do povo; e eis que, examinando-o na vossa presença, nenhuma culpa, das de que o acusais, acho neste homem.
Nem mesmo Herodes, porque a ele vos remeti, e eis que não tem feito coisa alguma digna de morte.
Castigá-lo-ei, pois, e soltá-lo-ei.

Lembrando que era comemoração da páscoa e era costume daquele tribunal soltar um preso de acordo com a vontade do povo, e novamente eles reunidos em julgamento a Jesus, Pilatos indaga a multidão que ali se encontrava qual dos presos queriam ver solto:

Ora, por ocasião da festa, costumava o presidente soltar um preso, escolhendo o povo aquele que quisesse.
E tinham então um preso bem conhecido, chamado Barrabás.
Portanto, estando eles reunidos, disse-lhes Pilatos: Qual quereis que vos solte? Barrabás, ou Jesus, chamado Cristo?
Porque sabia que por inveja o haviam entregado.
E, estando ele assentado no tribunal, sua mulher mandou-lhe dizer: Não entres na questão desse justo, porque num sonho muito sofri por causa dele.
Mas os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadiram à multidão que pedisse Barrabás e matasse Jesus.

Atentemos que Pilatos sabia da inocência de Jesus, sabia que por inveja que os principais dos sacerdotes e escribas lhes acusavam. E ainda neste meio tempo recebe um recado de sua mulher para que não julgasse a Jesus, pois fora avisada com sofrimento em sonho a seu respeito. Mas enquanto isso estavam os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadindo a multidão a pedir a crucificação de Jesus.
E Pilatos ignorando o recado da mulher, ou achando que talvez o povo pedisse a soltura de Jesus, novamente lhe indaga a quem queria que soltasse, Jesus ou Barrabás um criminoso e homicida:
E, respondendo o presidente, disse-lhes: Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás.
Disse-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado.
João nos relata ainda em sua narrativa do evangelho que Pilatos interroga Jesus separadamente:

Tornou, pois, a entrar Pilatos na audiência, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és o Rei dos Judeus?
Respondeu-lhe Jesus: Tu dizes isso de ti mesmo, ou disseram-to outros de mim?
Pilatos respondeu: Porventura sou eu judeu? A tua nação e os principais dos sacerdotes entregaram-te a mim. Que fizeste?
Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui.
Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.
Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? E, dizendo isto, tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nele crime algum.
Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela páscoa. Quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus?
Então todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás. E Barrabás era um salteador.
João18:33-40

Atentemos que Jesus neste momento, mesmo em sofrimento e humilhação, prega a Pilatos sobre a verdade e o reino dos céus, dizendo ainda que se fosse para ter um reinado neste mundo, lembremos que Ele era indicado a este por descendência de Davi, que seus servos, exercito, impediriam que fosse entregue a morte, afirmando que o reino Dele não era daqui mas do céus. Pilatos até que estava interessado em saber daquela verdade, mas se volta novamente a multidão indagando quem queriam que soltasse, talvez na esperança que pedisse Jesus, pois não o queria condenar a morte. Mas a multidão toda estava a clamar para que soltasse a Barrabás.

Pilatos, pois, tomou então a Jesus, e o açoitou.
E os soldados, tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram sobre a cabeça, e lhe vestiram roupa de púrpura.
E diziam: Salve, Rei dos Judeus. E davam-lhe bofetadas.

Vejamos que Pilatos mesmo não querendo condenar Jesus a morte, mas diante de vê-lo resistente, e não fazendo nada em seu favor, acaba por bater fortemente em Jesus, deixando que seus soldados tecessem uma coroa de espinhos e coroassem assim a Jesus, o vestindo de purpuras, e escarnecendo diziam: Salve o Rei dos judeus, e lhes davam bofetadas.
Dá para imaginar tamanho era o sofrimento de Jesus ali? Tamanha humilhação? Sem ter cometido crime algum. Mas resistia, creio que somente por estar sendo sustentado pelo anjo do Senhor, porque como homem era por demais o sofrimento e poderia muito bem requerer seu reinado ali, mas já tivera aceito a ser por sacrifício, assim se portava humildemente.

Então Pilatos saiu outra vez fora, e disse-lhes: Eis aqui vo-lo trago fora, para que saibais que não acho nele crime algum.
Saiu, pois, Jesus fora, levando a coroa de espinhos e roupa de púrpura. E disse-lhes Pilatos: Eis aqui o homem.
Vendo-o, pois, os principais dos sacerdotes e os servos, clamaram, dizendo: Crucifica-o, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Tomai-o vós, e crucificai-o; porque eu nenhum crime acho nele.
Responderam-lhe os judeus: Nós temos uma lei e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus.
E Pilatos, quando ouviu esta palavra, mais atemorizado ficou.
João19:4-8

Atentemos que Pilatos queria salvar Jesus da morte, e claramente dizia não achar nele crime algum, e até com medo estava de tal julgamento, querendo entregá-lo de volta aos judeus para que o condenassem, mas estes se recusavam e lhes pedia a crucificação, dizendo ter Jesus se feito Filho de Deus, o que ainda mais atemorizou a Pilatos, e novamente interroga Jesus, na esperança de que algo viesse Ele dizer ou fazer a seu favor,

E entrou outra vez na audiência, e disse a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta.
Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar?
Respondeu Jesus: Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem.
Desde então Pilatos procurava soltá-lo; mas os judeus clamavam, dizendo: Se soltas este, não és amigo de César; qualquer que se faz rei é contra César.

Atentemos o quanto era agoniante para Jesus aquele julgamento ilegal, no entanto defendia sua posição mesmo diante da autoridade de Pilatos, afirmando que tudo estava sob o controle era sim de Deus, e maior era o pecado dos que lhe entregara, o que ainda mais fazia que Pilatos o quisesse soltar, mas era incitado pela multidão que lhes dizia ainda que se lhe soltasse estaria indo contra o rei, César, vejamos o quanto estava Pilatos sendo pressionado a dar-lhe a condenação mesmo sabendo de sua inocência.

O presidente, porém, disse: Mas que mal fez ele? E eles mais clamavam, dizendo: Seja crucificado.
Então Pilatos, vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo. Considerai isso.
E, respondendo todo o povo, disse: O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos.
Então soltou-lhes Barrabás, e, tendo mandado açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.
Mateus27:23-26

Ouvindo, pois, Pilatos este dito, levou Jesus para fora, e assentou-se no tribunal, no lugar chamado Litóstrotos, e em hebraico Gabatá.
E era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse aos judeus: Eis aqui o vosso Rei.
Mas eles bradaram: Tira, tira, crucifica-o. Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais dos sacerdotes: Não temos rei, senão César.
Então, consequentemente entregou-lho, para que fosse crucificado. E tomaram a Jesus, e o levaram.
João19:13-16

Falou, pois, outra vez Pilatos, querendo soltar a Jesus.
Mas eles clamavam em contrário, dizendo: Crucifica-o, crucifica-o.
Então ele, pela terceira vez, lhes disse: Mas que mal fez este? Não acho nele culpa alguma de morte. Castigá-lo-ei pois, e soltá-lo-ei.
Mas eles instavam com grandes gritos, pedindo que fosse crucificado. E os seus gritos, e os dos principais dos sacerdotes, prevaleciam.
Então Pilatos julgou que devia fazer o que eles pediam.
E soltou-lhes o que fora lançado na prisão por uma sedição e homicídio, que era o que pediam; mas entregou Jesus à vontade deles.
Lucas23:20-25

Atentemos o quanto fora ilegal o julgamento, bem como a condenação de crucificação, que o presidente do tribunal, Pilatos, pediu água para lavar suas mãos, deixando bem claro que Jesus era inocente, na frente de toda a multidão que gritava pela crucificação, tamanha era o clamor, a gritaria, o que prevaleceu, soltando então a Barrabás e entregando Jesus a morte. Atentemos que a mesma multidão que seguia Jesus em suas pregações, estavam ali o condenando a morte, um povo que esperava apenas ver milagres, receber benefícios e salvação terrena tão somente, que não deram ouvidos a pregação do reino dos céus, e pediam a soltura de um criminoso e homicida e a crucificação de Jesus totalmente inocente.
Não houve justiça nenhuma neste julgamento e condenação.

Atentemos que Jesus não fora condenado a morte,

não havia crime para isto! Mas tudo para cumprimento das profecias, tudo por causa do pecado do homem e do plano de salvação de Deus para conosco,
Dá para imaginar o tamanho de Amor de Jesus ali sofrendo humildemente, prestes a ser crucificado por nós? E nós como temos o retribuído? Damos crédito e colocamos em prática seu evangelho? Ou estamos como aquela multidão?

Atentemos o quão irresponsáveis e afastados de Deus estavam aqueles da multidão toda, que estavam ignorando o Poder de Deus, dizendo até que o sangue de Jesus caísse sobre eles e sobre seus filhos!
E, infelizmente, se este julgamento fosse nos dias de hoje, ainda teria também uma multidão para crucificar a Jesus.
Mas que estejamos bem conscientes que Jesus não mais voltará assim como homem, tudo já fora feito por Deus, o sacrifício, a ressurreição, Seu Santo Espirito sobre nós, sua maravilhosa Graça redentora e salvadora.

Mas que fiquemos atentos e vigilantes, pois Deus sim é Bom, e tão misericordioso e Amoroso para conosco que permitiu até a condenação e morte de seu próprio Filho para nossa salvação, Mas também já nos deixou tudo por escrito sobre o por vir, são muitas ainda as profecias a serem cumpridas, e quer creiamos ou não tudo se cumprirá. Pois sim Deus é Bom mas também é Justo e fiel as suas palavras. Ali não houve justiça, mas perante Deus toda Sua Justiça que prevalecerá.
Que busquemos conhecimento na Bíblia que está a nosso dispor, que nos rendamos aos pés de Jesus, que aceitemos tão maravilhosa Graça que ainda é sobre nós, que cumpramos com a vontade de Deus sobre nossas vidas.

Pois em breve, bem breve, Jesus voltará em Glória!

“”

E ali no tribunal terreno fora Jesus entregue a morte, mas atentemos bem que não fora pelo supremo do tribunal lhe imputado crime tendo estes o parecer de que Jesus era inocente, no entanto fora entregue a crucificação por Pilatos que em concorde com Herodes, por temerem colocar em risco suas posições perante o rei César, atentemos bem que fora os próprios ‘religiosos’ daquela época, os que se diziam povo de Deus, que condenaram a Jesus, dá para imaginar tamanha desfeita daqueles por Deus? Que não conseguiam enxergar o significado das profecias, que não quiseram dar ouvidos a Palavra de Deus, que desprezaram as promessas ainda mais excelentes feitas por Jesus, que sim lhes pregou o Reino dos Céus, com o perdão eterno sobre seus pecados, mas lhe pediram a crucificação… que povo de Deus eram aqueles que pior que os que chamavam de impios, não deram lugar ao mover de Deus a seu favor, pois Jesus havia vindo para eles, e o desprezaram.
Mas Deus é tão Grandioso, tão Amoroso, tão Misericordioso, tão Poderoso, que derramaria de Sua Graça Salvadora a todos quantos viessem a aceitar Jesus por Salvador, e que Amor imensurável é este que mesmo sobre aqueles que a principio o desprezaram, ainda vinha a dar a oportunidade de serem salvos, o que fora estendido a todos os povos e nações.

E a nós já fora revelado todo o agir de Deus em Sua justiça, que mesmo sendo Jesus condenado ali e viria a morrer, mas fora ressuscitado e ai sim Vivo coroado em glória eternamente Rei no Reino dos Céus, o que ainda vamos rever nas postagens seguintes; como estamos dando ouvidos a todo este mover de Deus em nosso favor? Estamos nos firmando na Nova e Eterna Aliança de Deus para conosco? Dando ouvidos a todo o Evangelho pregado por Jesus, aceitando Sua Salvação para vida eterna, ou preferindo ficar presos no tribunal terreno cuja sentença independentemente de como nos portamos é de morte?



E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;
Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.
Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.
Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.
João 3:14-21
“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; João 5: 39”

C O M P A R T I L H A R... isto é viver...é aprender...






Recomendo que clique no link indicado no final de cada postagem efetuada só com a introdução, para leitura integral do texto publicado na íntegra na folha CONTINUA.