Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6

__________________VERSÍCULOS DO DIA ______________

Porquanto ouvimos que alguns que saíram dentre nós vos perturbaram com palavras, e transtornaram as vossas almas, dizendo que deveis circuncidar-vos e guardar a lei, não lhes tendo nós dado mandamento, Atos15:24
Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá. Atos15:28,29
>
- se preferir texto parado, pare o mouse sobre o versículo-

Abaixo publico algumas anotações sobre estes versículos.
Não deixe de ler as citações bíblicas, pois delas é que compartilho
* Deus nos abençoe *
***
*Faça a sua reflexão sobre estes versículos, pois DEUS quer falar diretamente com você, lembre-se que ELE te chama pelo seu nome e quer escrevê-lo e mantê-lo no Livro da Vida Eterna.*
***

(Se necessário, ATUALIZE A FOLHA PARA VISUALIZAR AS ANOTAÇÕES DOS VERSÍCULOS DE HOJE
http://wwwcompartilhar.blogspot.com/


segunda-feira, 19 de julho de 2010

Versículos de hoje: Majestade de Deus

-Bendize, ó minha alma, ao SENHOR! SENHOR Deus meu, tu és magnificentíssimo; estás vestido de glória e de majestade. Salmos 104:1

-E todos pasmavam da majestade de Deus. E, maravilhando-se todos de todas as coisas que Jesus fazia, disse aos seus discípulos: Lucas 9:43

A majestade de Deus não pode ser negada, Ele é criador de todas as coisas e todas existem e subsistem por seu poder, assim é que temos que conhecê-lo em sua majestade, e assim lhe render o devido temor e glória, e mesmo em toda a sua santa majestade e excelência não deixa de socorrer o oprimido e necessitado, estando sempre com seu olhar sobre seu povo escutando todo seu clamor e suprindo suas necessidades se por Ele buscarmos em sua majestade.

-O esplendor de ouro vem do norte; pois, em Deus há uma tremenda majestade.

Ao Todo-Poderoso não podemos alcançar; grande é em poder; porém a ninguém oprime em juízo e grandeza de justiça.

Por isso o temem os homens; ele não respeita os que se julgam sábios de coração. Jo 37: 22/24

-O SENHOR reina; está vestido de majestade. O SENHOR se revestiu e cingiu de poder; o mundo também está firmado, e não poderá vacilar. Salmos 93:1

-E ele permanecerá, e apascentará ao povo na força do SENHOR, na excelência do nome do SENHOR seu Deus; e eles permanecerão, porque agora será engrandecido até aos fins da terra. Miquéias 5:4

-E dissestes: Eis aqui o SENHOR nosso Deus nos fez ver a sua glória e a sua grandeza, e ouvimos a sua voz do meio do fogo; hoje vimos que Deus fala com o homem, e que este permanece vivo. Deuteronômio 5:24

E para nos apresentarmos diante de tão santa majestade, temos que estar buscando por seu caminho que é Jesus, unico mediador entre o homem pecador e a majestade de Deus, andando retamente diante do Senhor, mesmo que carnalmente somos induzidos ao pecado mas estarmos sempre de coração desejando estar diante de Deus, não deixando de lembrar que temos um Sumo Sacerdote, Jesus. que esta junto a glória de Deus e intercede por nós,

-Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14:6

-Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. 1 Timóteo 2:5


- O caminho do justo é todo plano; tu retamente pesas o andar do justo.

Também no caminho dos teus juízos, SENHOR, te esperamos; no teu nome e na tua memória está o desejo da nossa alma.

Com minha alma te desejei de noite, e com o meu espírito, que está dentro de mim, madrugarei a buscar-te; porque, havendo os teus juízos na terra, os moradores do mundo aprendem justiça.

Ainda que se mostre favor ao ímpio, nem por isso aprende a justiça; até na terra da retidão ele pratica a iniqüidade, e não atenta para a majestade do SENHOR.

SENHOR, a tua mão está exaltada, mas nem por isso a vêem; vê-la-ão, porém, e confundir-se-ão por causa do zelo que tens do teu povo; e o fogo consumirá os teus adversários.

SENHOR, tu nos darás a paz, porque tu és o que fizeste em nós todas as nossas obras. Isaías 26: 7/12

-Ora, a suma do que temos dito é que temos um sumo sacerdote tal, que está assentado nos céus à destra do trono da majestade,

Ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, e não o homem.

Porque todo o sumo sacerdote é constituído para oferecer dons e sacrifícios; por isso era necessário que este também tivesse alguma coisa que oferecer.

Ora, se ele estivesse na terra, nem tampouco sacerdote seria, havendo ainda sacerdotes que oferecem dons segundo a lei,

Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais, como Moisés divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que no monte se te mostrou.

Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas.

Hebreus 8:1/6

A esta majestade temos o dever de render-lhe louvores, e que seja não por obrigação mas de todo nosso coração e fé em seu poder, do que Deus se agrada e nos fortalece ainda mais,


-E pela manhã cedo se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa; e, ao saírem, Jeosafá pôs-se em pé, e disse: Ouvi-me, ó Judá, e vós, moradores de Jerusalém: Crede no SENHOR vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas, e prosperareis;

E aconselhou-se com o povo, e ordenou cantores para o SENHOR, que louvassem à Majestade santa, saindo diante dos armados, e dizendo: Louvai ao SENHOR porque a sua benignidade dura para sempre.

E, quando começaram a cantar e a dar louvores, o SENHOR pôs emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os das montanhas de Seir, que vieram contra Judá, e foram desbaratados. 2 Cronicas: 20/22

-Reinos da terra, cantai a Deus, cantai louvores ao Senhor. (Selá.)

Àquele que vai montado sobre os céus dos céus, que existiam desde a antiguidade; eis que envia a sua voz, dá um brado veemente.

Atribuí a Deus fortaleza; a sua excelência está sobre Israel e a sua fortaleza nas mais altas nuvens.

O Deus, tu és tremendo desde os teus santuários; o Deus de Israel é o que dá força e poder ao seu povo. Bendito seja Deus! Salmos 68:32/35

- Reis da terra e todos os povos, príncipes e todos os juízes da terra;

Moços e moças, velhos e crianças.

Louvem o nome do SENHOR, pois só o seu nome é exaltado; a sua glória está sobre a terra e o céu.

Ele também exalta o poder do seu povo, o louvor de todos os seus santos, dos filhos de Israel, um povo que lhe é chegado. Louvai ao SENHOR. Salmos 148:11/14

- E, quando os animais davam glória, e honra, e ações de graças ao que estava assentado sobre o trono, ao que vive para todo o sempre,

Os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, e adoravam o que vive para todo o sempre; e lançavam as suas coroas diante do trono, dizendo:

Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas. Apocalipse 4:9/11

“Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória,

Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém. Judas 1:24/25”

Não devemos deixar de ler as escreituras sagradas, a Bíblia, pois nela encontramos quão grande é a majestade e poder de Deus.

Musica: http://www.fileden.com/files/2008/9/7/2085534/grande_e_o_senhor.mid

TEXTOS PARA REFLETIR: (majestade, sabedoria, poder e misericórdia de Deus)

JÓ – de 36 ao 42

Capitulo 36

Prosseguiu ainda Eliú, e disse:

Espera-me um pouco, e mostrar-te-ei que ainda há razões a favor de Deus.

De longe trarei o meu conhecimento; e ao meu Criador atribuirei a justiça.

Porque na verdade, as minhas palavras não serão falsas; contigo está um que tem perfeito conhecimento.

Eis que Deus é mui grande, contudo a ninguém despreza; grande é em força e sabedoria.

Ele não preserva a vida do ímpio, e faz justiça aos aflitos.

Do justo não tira os seus olhos; antes estão com os reis no trono; ali os assenta para sempre, e assim são exaltados.

E se estão presos em grilhões, amarrados com cordas de aflição,

Então lhes faz saber a obra deles, e as suas transgressões, porquanto prevaleceram nelas.

Abre-lhes também os seus ouvidos, para sua disciplina, e ordena-lhes que se convertam da maldade.

Se o ouvirem, e o servirem, acabarão seus dias em bem, e os seus anos em delícias.

Porém se não o ouvirem, à espada serão passados, e expirarão sem conhecimento.

E os hipócritas de coração amontoam para si a ira; e amarrando-os ele, não clamam por socorro.

A sua alma morre na mocidade, e a sua vida perece entre os impuros.

Ao aflito livra da sua aflição, e na opressão se revela aos seus ouvidos.

Assim também te desviará da boca da angústia para um lugar espaçoso, em que não há aperto, e as iguarias da tua mesa serão cheias de gordura.

Mas tu estás cheio do juízo do ímpio; o juízo e a justiça te sustentam.

Porquanto há furor, guarda-te de que não sejas atingido pelo castigo violento, pois nem com resgate algum te livrarias dele.

Estimaria ele tanto tuas riquezas? Não, nem ouro, nem todas as forças do poder.

Não suspires pela noite, em que os povos sejam tomados do seu lugar.

Guarda-te, e não declines para a iniqüidade; porquanto isso escolheste antes que a aflição.

Eis que Deus é excelso em seu poder; quem ensina como ele?

Quem lhe prescreveu o seu caminho? Ou, quem lhe dirá: Tu cometeste maldade?

Lembra-te de engrandecer a sua obra, que os homens contemplam.

Todos os homens a vêem, e o homem a enxerga de longe.

Eis que Deus é grande, e nós não o compreendemos, e o número dos seus anos não se pode esquadrinhar.

Porque faz miúdas as gotas das águas que, do seu vapor, derramam a chuva,

A qual as nuvens destilam e gotejam sobre o homem abundantemente.

Porventura pode alguém entender as extensões das nuvens, e os estalos da sua tenda?

Eis que estende sobre elas a sua luz, e encobre as profundezas do mar.

Porque por estas coisas julga os povos e lhes dá mantimento em abundância.

Com as nuvens encobre a luz, e ordena não brilhar, interpondo a nuvem.

O que nos dá a entender o seu pensamento, como também ao gado, acerca do temporal que sobe.

Jó 37

Sobre isto também treme o meu coração, e salta do seu lugar.

Atentamente ouvi a indignação da sua voz, e o sonido que sai da sua boca.

Ele o envia por debaixo de todos os céus, e a sua luz até aos confins da terra.

Depois disto ruge uma voz; ele troveja com a sua voz majestosa; e ele não os detém quando a sua voz é ouvida.

Com a sua voz troveja Deus maravilhosamente; faz grandes coisas, que nós não podemos compreender.

Porque à neve diz: Cai sobre a terra; como também à garoa e à sua forte chuva.

Ele sela as mãos de todo o homem, para que conheçam todos os homens a sua obra.

E as feras entram nos seus esconderijos e ficam nas suas cavernas.

Da recâmara do sul sai o tufão, e do norte o frio.

Pelo sopro de Deus se dá a geada, e as largas águas se congelam.

Também de umidade carrega as grossas nuvens, e esparge as nuvens com a sua luz.

Então elas, segundo o seu prudente conselho, se espalham em redor, para que façam tudo quanto lhes ordena sobre a superfície do mundo na terra.

Seja que por vara, ou para a sua terra, ou por misericórdia as faz vir.

A isto, ó Jó, inclina os teus ouvidos; para, e considera as maravilhas de Deus.

Porventura sabes tu como Deus as opera, e faz resplandecer a luz da sua nuvem?

Tens tu notícia do equilíbrio das grossas nuvens e das maravilhas daquele que é perfeito nos conhecimentos?

Ou de como as tuas roupas aquecem, quando do sul há calma sobre a terra?

Ou estendeste com ele os céus, que estão firmes como espelho fundido?

Ensina-nos o que lhe diremos: porque nós nada poderemos pôr em boa ordem, por causa das trevas.

Contar-lhe-ia alguém o que tenho falado? Ou desejaria um homem que ele fosse devorado?

E agora não se pode olhar para o sol, que resplandece nas nuvens, quando o vento, tendo passado, o deixa limpo.

O esplendor de ouro vem do norte; pois, em Deus há uma tremenda majestade.

Ao Todo-Poderoso não podemos alcançar; grande é em poder; porém a ninguém oprime em juízo e grandeza de justiça.

Por isso o temem os homens; ele não respeita os que se julgam sábios de coração.

Jó 38

Depois disto o SENHOR respondeu a Jó de um redemoinho, dizendo:

Quem é este que escurece o conselho com palavras sem conhecimento?

Agora cinge os teus lombos, como homem; e perguntar-te-ei, e tu me ensinarás.

Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência.

Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel?

Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina,

Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?

Ou quem encerrou o mar com portas, quando este rompeu e saiu da madre;

Quando eu pus as nuvens por sua vestidura, e a escuridão por faixa?

Quando eu lhe tracei limites, e lhe pus portas e ferrolhos,

E disse: Até aqui virás, e não mais adiante, e aqui se parará o orgulho das tuas ondas?

Ou desde os teus dias deste ordem à madrugada, ou mostraste à alva o seu lugar;

Para que pegasse nas extremidades da terra, e os ímpios fossem sacudidos dela;

E se transformasse como o barro sob o selo, e se pusessem como vestidos;

E dos ímpios se desvie a sua luz, e o braço altivo se quebrante;

Ou entraste tu até às origens do mar, ou passeaste no mais profundo do abismo?

Ou descobriram-se-te as portas da morte, ou viste as portas da sombra da morte?

Ou com o teu entendimento chegaste às larguras da terra? Faze-mo saber, se sabes tudo isto.

Onde está o caminho onde mora a luz? E, quanto às trevas, onde está o seu lugar;

Para que as tragas aos seus limites, e para que saibas as veredas da sua casa?

De certo tu o sabes, porque já então eras nascido, e por ser grande o número dos teus dias!

Ou entraste tu até aos tesouros da neve, e viste os tesouros da saraiva,

Que eu retenho até ao tempo da angústia, até ao dia da peleja e da guerra?

Onde está o caminho em que se reparte a luz, e se espalha o vento oriental sobre a terra?

Quem abriu para a inundação um leito, e um caminho para os relâmpagos dos trovões,

Para chover sobre a terra, onde não há ninguém, e no deserto, em que não há homem;

Para fartar a terra deserta e assolada, e para fazer crescer os renovos da erva?

A chuva porventura tem pai? Ou quem gerou as gotas do orvalho?

De que ventre procedeu o gelo? E quem gerou a geada do céu?

Como debaixo de pedra as águas se endurecem, e a superfície do abismo se congela.

Ou poderás tu ajuntar as delícias do Sete-estrelo ou soltar os cordéis do Orion?

Ou produzir as constelações a seu tempo, e guiar a Ursa com seus filhos?

Sabes tu as ordenanças dos céus, ou podes estabelecer o domínio deles sobre a terra?

Ou podes levantar a tua voz até às nuvens, para que a abundância das águas te cubra?

Ou mandarás aos raios para que saiam, e te digam: Eis-nos aqui?

Quem pôs a sabedoria no íntimo, ou quem deu à mente o entendimento?

Quem numerará as nuvens com sabedoria? Ou os odres dos céus, quem os esvaziará,

Quando se funde o pó numa massa, e se apegam os torrões uns aos outros?

Porventura caçarás tu presa para a leoa, ou saciarás a fome dos filhos dos leões,

Quando se agacham nos covis, e estão à espreita nas covas?

Quem prepara aos corvos o seu alimento, quando os seus filhotes gritam a Deus e andam vagueando, por não terem o que comer?

Jó 39

Sabes tu o tempo em que as cabras montesas têm filhos, ou observastes as cervas quando dão suas crias?

Contarás os meses que cumprem, ou sabes o tempo do seu parto?

Quando se encurvam, produzem seus filhos, e lançam de si as suas dores.

Seus filhos enrijam, crescem com o trigo; saem, e nunca mais tornam para elas.

Quem despediu livre o jumento montês, e quem soltou as prisões ao jumento bravo,

Ao qual dei o ermo por casa, e a terra salgada por morada?

Ri-se do ruído da cidade; não ouve os muitos gritos do condutor.

A região montanhosa é o seu pasto, e anda buscando tudo que está verde.

Ou, querer-te-á servir o boi selvagem? Ou ficará no teu curral?

Ou com corda amarrarás, no arado, ao boi selvagem? Ou escavará ele os vales após ti?

Ou confiarás nele, por ser grande a sua força, ou deixarás a seu cargo o teu trabalho?

Ou fiarás dele que te torne o que semeaste e o recolha na tua eira?

A avestruz bate alegremente as suas asas, porém, são benignas as suas asas e penas?

Ela deixa os seus ovos na terra, e os aquenta no pó,

E se esquece de que algum pé os pode pisar, ou que os animais do campo os podem calcar.

Endurece-se para com seus filhos, como se não fossem seus; debalde é seu trabalho, mas ela está sem temor,

Porque Deus a privou de sabedoria, e não lhe deu entendimento.

A seu tempo se levanta ao alto; ri-se do cavalo, e do que vai montado nele.

Ou darás tu força ao cavalo, ou revestirás o seu pescoço com crinas?

Ou espantá-lo-ás, como ao gafanhoto? Terrível é o fogoso respirar das suas ventas.

Escava a terra, e folga na sua força, e sai ao encontro dos armados.

Ri-se do temor, e não se espanta, e não torna atrás por causa da espada.

Contra ele rangem a aljava, o ferro flamante da lança e do dardo.

Agitando-se e indignando-se, serve a terra, e não faz caso do som da buzina.

Ao soar das buzinas diz: Eia! E cheira de longe a guerra, e o trovão dos capitães, e o alarido.

Ou voa o gavião pela tua inteligência, e estende as suas asas para o sul?

Ou se remonta a águia ao teu mandado, e põe no alto o seu ninho?

Nas penhas mora e habita; no cume das penhas, e nos lugares seguros.

Dali descobre a presa; seus olhos a avistam de longe.

E seus filhos chupam o sangue, e onde há mortos, ali está ela.

Jó 40

Respondeu mais o SENHOR a Jó, dizendo:

Porventura o contender contra o Todo-Poderoso é sabedoria? Quem argüi assim a Deus, responda por isso.

Então Jó respondeu ao SENHOR, dizendo:

Eis que sou vil; que te responderia eu? A minha mão ponho à boca.

Uma vez tenho falado, e não replicarei; ou ainda duas vezes, porém não prosseguirei.

Então o SENHOR respondeu a Jó de um redemoinho, dizendo:

Cinge agora os teus lombos como homem; eu te perguntarei, e tu me explicarás.

Porventura também tornarás tu vão o meu juízo, ou tu me condenarás, para te justificares?

Ou tens braço como Deus, ou podes trovejar com voz como ele o faz?

Orna-te, pois, de excelência e alteza; e veste-te de majestade e de glória.

Derrama os furores da tua ira, e atenta para todo o soberbo, e abate-o.

Olha para todo o soberbo, e humilha-o, e atropela os ímpios no seu lugar.

Esconde-os juntamente no pó; ata-lhes os rostos em oculto.

Então também eu a ti confessarei que a tua mão direita te poderá salvar.

Contemplas agora o beemote, que eu fiz contigo, que come a erva como o boi.

Eis que a sua força está nos seus lombos, e o seu poder nos músculos do seu ventre.

Quando quer, move a sua cauda como cedro; os nervos das suas coxas estão entretecidos.

Os seus ossos são como tubos de bronze; a sua ossada é como barras de ferro.

Ele é obra-prima dos caminhos de Deus; o que o fez o proveu da sua espada.

Em verdade os montes lhe produzem pastos, onde todos os animais do campo folgam.

Deita-se debaixo das árvores sombrias, no esconderijo das canas e da lama.

As árvores sombrias o cobrem, com sua sombra; os salgueiros do ribeiro o cercam.

Eis que um rio transborda, e ele não se apressa, confiando ainda que o Jordão se levante até à sua boca.

Podê-lo-iam porventura caçar à vista de seus olhos, ou com laços lhe furar o nariz?

Jó 41

Poderás tirar com anzol o leviatã, ou ligarás a sua língua com uma corda?

Podes pôr um anzol no seu nariz, ou com um gancho furar a sua queixada?

Porventura multiplicará as súplicas para contigo, ou brandamente falará?

Fará ele aliança contigo, ou o tomarás tu por servo para sempre?

Brincarás com ele, como se fora um passarinho, ou o prenderás para tuas meninas?

Os teus companheiros farão dele um banquete, ou o repartirão entre os negociantes?

Encherás a sua pele de ganchos, ou a sua cabeça com arpões de pescadores?

Põe a tua mão sobre ele, lembra-te da peleja, e nunca mais tal intentarás.

Eis que é vã a esperança de apanhá-lo; pois não será o homem derrubado só ao vê-lo?

Ninguém há tão atrevido, que a despertá-lo se atreva; quem, pois, é aquele que ousa erguer-se diante de mim?

Quem primeiro me deu, para que eu haja de retribuir-lhe? Pois o que está debaixo de todos os céus é meu.

Não me calarei a respeito dos seus membros, nem da sua grande força, nem a graça da sua compostura.

Quem descobrirá a face da sua roupa? Quem entrará na sua couraça dobrada?

Quem abrirá as portas do seu rosto? Pois ao redor dos seus dentes está o terror.

As suas fortes escamas são o seu orgulho, cada uma fechada como com selo apertado.

Uma à outra se chega tão perto, que nem o ar passa por entre elas.

Umas às outras se ligam; tanto aderem entre si, que não se podem separar.

Cada um dos seus espirros faz resplandecer a luz, e os seus olhos são como as pálpebras da alva.

Da sua boca saem tochas; faíscas de fogo saltam dela.

Das suas narinas procede fumaça, como de uma panela fervente, ou de uma grande caldeira.

O seu hálito faz incender os carvões; e da sua boca sai chama.

No seu pescoço reside a força; diante dele até a tristeza salta de prazer.

Os músculos da sua carne estão pegados entre si; cada um está firme nele, e nenhum se move.

O seu coração é firme como uma pedra e firme como a mó de baixo.

Levantando-se ele, tremem os valentes; em razão dos seus abalos se purificam.

Se alguém lhe tocar com a espada, essa não poderá penetrar, nem lança, dardo ou flecha.

Ele considera o ferro como palha, e o cobre como pau podre.

A seta o não fará fugir; as pedras das fundas se lhe tornam em restolho.

As pedras atiradas são para ele como arestas, e ri-se do brandir da lança;

Debaixo de si tem conchas pontiagudas; estende-se sobre coisas pontiagudas como na lama.

As profundezas faz ferver, como uma panela; torna o mar como uma vasilha de ungüento.

Após si deixa uma vereda luminosa; parece o abismo tornado em brancura de cãs.

Na terra não há coisa que se lhe possa comparar, pois foi feito para estar sem pavor.

Ele vê tudo que é alto; é rei sobre todos os filhos da soberba.

Jó 42

Então respondeu Jó ao SENHOR, dizendo:

Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido.

Quem é este, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso relatei o que não entendia; coisas que para mim eram inescrutáveis, e que eu não entendia.

Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás.

Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos.

Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza.

Sucedeu que, acabando o SENHOR de falar a Jó aquelas palavras, o SENHOR disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti, e contra os teus dois amigos, porque não falastes de mim o que era reto, como o meu servo Jó.

Tomai, pois, sete bezerros e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei holocaustos por vós, e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa loucura; porque vós não falastes de mim o que era reto como o meu servo Jó.

Então foram Elifaz, o temanita, e Bildade, o suíta, e Zofar, o naamatita, e fizeram como o SENHOR lhes dissera; e o SENHOR aceitou a face de Jó.

E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía.

Então vieram a ele todos os seus irmãos, e todas as suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro.

E assim abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; pois teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas.

Também teve sete filhos e três filhas.

E chamou o nome da primeira Jemima, e o nome da segunda Quezia, e o nome da terceira Quéren-Hapuque.

E em toda a terra não se acharam mulheres tão formosas como as filhas de Jó; e seu pai lhes deu herança entre seus irmãos.

E depois disto viveu Jó cento e quarenta anos; e viu a seus filhos, e aos filhos de seus filhos, até à quarta geração.

Então morreu Jó, velho e farto de dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; João 5: 39”

C O M P A R T I L H A R... isto é viver...é aprender...






Recomendo que clique no link indicado no final de cada postagem efetuada só com a introdução, para leitura integral do texto publicado na íntegra na folha CONTINUA.